sexta-feira, 24 de março de 2017

Livro: "O Grande Tecelão" de Ravi Zacharias

- Como Deus nos molda por meio dos acontecimentos da vida - 

Editora Vida Nova 

Quão diferente viveríamos se acreditássemos que cada evento de nossa vida - desde o alegre ao trágico e ao mundano - fosse parte de um desígnio meticuloso e intencional no qual todos os elementos estão interconectados com uma precisão de tirar o fôlego? Essa é a pergunta que Ravi Zacharias, autor bestseller e palestrante internacionalmente conhecido, responde neste livro.

terça-feira, 21 de março de 2017

O Espírito Santo é um ou sete?


APOCALIPSE 1:4 - Como o Espírito Santo pode ser sete espíritos, se ele é uma só pessoa?

PROBLEMA: De acordo com a ortodoxa doutrina da Trindade, o Espírito Santo é uma pessoa, a terceira pessoa da Divindade triúna. Jesus referiu-se ao Espírito Santo como "ele" (no singular). Mas João referiu-se aos "sete Espíritos que se acham diante do seu trono [de Deus]" (Ap 1:4), os quais são considerados, por muitos comentaristas, como sendo uma referência ao Espírito Santo. Mas como o Espírito Santo pôde ser sete espíritos?

SOLUÇÃO: O livro de Apocalipse contém muito simbolismo, e esse é apenas um exemplo. Há simbolismo semelhante em outras porções desse livro. Por exemplo, muitos acreditam que Apocalipse 12:3 fala de Satanás, mas ele é chamado de "dragão, grande, vermelho" com "sete cabeças, dez chifres". Nessa passagem, as sete cabeças e os dez chifres são atribuídos a uma só pessoa, a Satanás. Também, ao falar da besta que veio do mar, Apocalipse 13:1 diz que ela tem "dez chifres e sete cabeças". O número sete simboliza algo completo, como há sete dias numa semana completa.

Outros símbolos são aplicados ao Espírito Santo nas Escrituras. Por exemplo, ele é mencionado como uma pomba em Marcos 1:10, é associado ao "vento" em João 3:8, e à água em João 4:14. Ele é ainda descrito como "línguas como de fogo" em Atos 2:3.
 

Efésios 1:13 diz que somos "selados" pelo Espírito Santo, o que significa a propriedade que Deus tem sobre nós e a segurança da nossa salvação.

Muitos estudiosos da Bíblia acreditam que a natureza sétupla do Espírito Santo pode derivar da referência em Isaías 11:2, onde ele é chamado de "Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor" - sete características diferentes de um só e mesmo Espírito.

Fonte:

Norman Geisler & Thomas Howe; "Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e "Contradições" da Bíblia"; Ed. Mundo Cristão; pg.557.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Livro: "Razões para Crer" de Norman L. Geisler & Chad V. Meister

- Apresentando Argumentos a Favor da Fé Cristã - 

Editora CPAD

A obra aborda vários aspectos da apologia cristã, e está dividida em quatro assuntos base:

- O que é apologética e por que precisamos dela;

- Questões culturais e teológicas na apologética;

- Defendendo o teísmo cristão;

- Movimentos religiosos do mundo.

Cada assunto é detalhado através de sub-tópicos enriquecendo ainda mais os argumentos a favor da fé cristã.

sábado, 18 de março de 2017

Cristãos podem discutir com não-cristãos?



Proposta de Matheus:

Pipe respondeu:

Onde vc leu "discutir" nos textos?

Leia comigo:

1 Pedro 3:15
 "antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós,"

Se alguém pergunta a razão da minha fé eu estou discutindo com esta pessoa?
 

Colossenses 4:5
 "Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai as oportunidades".

Isso aqui implica em discutir?
 

Colossenses 4:6
 "A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para saberdes como deveis responder a cada um".

Portanto, não se trata de discutir, mas sim de responder a razão da nossa fé quando questionada.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Livro: "Teoria do Design Inteligente" de Everton Fernando Alves

- Evidências Científicas no Campo das Ciências Biológicas e da Saúde - 

Descrição
Atualmente, tem havido um grande questionamento se a origem da vida é mais bem explicada pelo acaso ou design. A teoria do design inteligente tem tido crescente atenção, tornando-se um tema de debate e investigação principalmente no campo das Ciências Biológicas e da Saúde. Este livro te apresentará uma perspectiva científica ainda pouco explorada. Aqui, você encontrará evidências da assinatura de um projeto intencional nas estruturas biológicas complexas presentes na natureza e nos seres vivos.

quarta-feira, 15 de março de 2017

Daniel 9 se cumpriu em Jesus ou em quem? (Debate Pipe x Pedro)



Vamos ao texto:

"No ano primeiro de Dario, filho de Assuero, da linhagem dos medos, o qual foi constituído rei sobre o reino dos caldeus,
 

No primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número dos anos, de que falara o SENHOR ao profeta Jeremias, em que haviam de cumprir-se as desolações de Jerusalém, era de setenta anos.

E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, e saco e cinza.

E orei ao SENHOR meu Deus, e confessei, e disse: Ah! Senhor! Deus grande e tremendo, que guardas a aliança e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus mandamentos;

Pecamos, e cometemos iniqüidades, e procedemos impiamente, e fomos rebeldes, apartando-nos dos teus mandamentos e dos teus juízos;

E não demos ouvidos aos teus servos, os profetas, que em teu nome falaram aos nossos reis, aos nossos príncipes, e a nossos pais, como também a todo o povo da terra.

A ti, ó Senhor, pertence a justiça, mas a nós a confusão de rosto, como hoje se vê; aos homens de Judá, e aos moradores de Jerusalém, e a todo o Israel, aos de perto e aos de longe, em todas as terras por onde os tens lançado, por causa das suas rebeliões que cometeram contra ti.

O Senhor, a nós pertence a confusão de rosto, aos nossos reis, aos nossos príncipes, e a nossos pais, porque pecamos contra ti.

Ao Senhor, nosso Deus, pertencem a misericórdia, e o perdão; pois nos rebelamos contra ele,

E não obedecemos à voz do SENHOR, nosso Deus, para andarmos nas suas leis, que nos deu por intermédio de seus servos, os profetas.

Sim, todo o Israel transgrediu a tua lei, desviando-se para não obedecer à tua voz; por isso a maldição e o juramento, que estão escritos na lei de Moisés, servo de Deus, se derramaram sobre nós; porque pecamos contra ele.

E ele confirmou a sua palavra, que falou contra nós, e contra os nossos juízes que nos julgavam, trazendo sobre nós um grande mal; porquanto debaixo de todo o céu nunca se fez como se tem feito em Jerusalém.

Como está escrito na lei de Moisés, todo este mal nos sobreveio; apesar disso, não suplicamos à face do SENHOR nosso Deus, para nos convertermos das nossas iniqüidades, e para nos aplicarmos à tua verdade.

Por isso o SENHOR vigiou sobre o mal, e o trouxe sobre nós; porque justo é o SENHOR, nosso Deus, em todas as suas obras, que fez, pois não obedecemos à sua voz.

Agora, pois, ó Senhor, nosso Deus, que tiraste o teu povo da terra do Egito com mão poderosa, e ganhaste para ti nome, como hoje se vê; temos pecado, temos procedido impiamente.

O Senhor, segundo todas as tuas justiças, aparte-se a tua ira e o teu furor da tua cidade de Jerusalém, do teu santo monte; porque por causa dos nossos pecados, e por causa das iniqüidades de nossos pais, tornou-se Jerusalém e o teu povo um opróbrio para todos os que estão em redor de nós.

Agora, pois, ó Deus nosso, ouve a oração do teu servo, e as suas súplicas, e sobre o teu santuário assolado faze resplandecer o teu rosto, por amor do Senhor.

Inclina, ó Deus meu, os teus ouvidos, e ouve; abre os teus olhos, e olha para a nossa desolação, e para a cidade que é chamada pelo teu nome, porque não lançamos as nossas súplicas perante a tua face fiados em nossas justiças, mas em tuas muitas misericórdias.

O Senhor, ouve; ó Senhor, perdoa; ó Senhor, atende-nos e age sem tardar; por amor de ti mesmo, ó Deus meu; porque a tua cidade e o teu povo são chamados pelo teu nome.

Estando eu ainda falando e orando, e confessando o meu pecado, e o pecado do meu povo Israel, e lançando a minha súplica perante a face do SENHOR, meu Deus, pelo monte santo do meu Deus,

Estando eu, digo, ainda falando na oração, o homem Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio, voando rapidamente, e tocou-me, à hora do sacrifício da tarde.
Ele me instruiu, e falou comigo, dizendo: Daniel, agora saí para fazer-te entender o sentido.

No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, porque és mui amado; considera, pois, a palavra, e entende a visão.

Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para
 cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo.

Sabe e entende:
 desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos.

E depois das sessenta e duas semanas
 será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações.

E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana
 fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador".
-------------------------------------------------------------

Então nós temos algumas questões na profecia:

1. Setenta semanas estão determinadas para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo.

2. Que as setenta semanas iniciariam desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém,
 até ao Messias, o Príncipe.

3. Haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos.

4. E depois das sessenta e duas semanas
 será cortado o Messias, mas não para si mesmo;

5. e o povo do príncipe, que há de vir,
 destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações.


Pergunta de Pedro:
Eu queria perguntar pra vc o seguinte. Diante de Daniel, o Messias viria entre a restauração de Jerusalém que ocorreu em Esdras e Neemias, e a destruição novamente de Jerusalém e do templo. 

Bom, a ordem para restaurar Jerusalém foi dada em 445 a.C. por Artaxerxes e a destruição de Jerusalém foi em 70 d.C.
 

Portanto, te pergunto, o Messias deveria vir entre 445 a.C. e 70 d.C. ou não?

PEDRO: Isso que consta em Esdras 7 e Neemias 2 da parte de Artaxerxes é um Decreto para reconstrução ou um salvo-conduto?
PIPE:
Neemias 2:5 E disse ao rei: Se é do agrado do rei, e se o teu servo é aceito em tua presença, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu a reedifique.

A Idéia de vir o messias é nossa, não do texto.
"desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas;"
Vc está sugerindo que este Messias príncipe seria o quê então?
 

O Texto diz que o Ungido Principe será cortado e um outro Principe destruiria a cidade e o santuário.
Entendo, mas veja só, se o segundo príncipe é alguém de carne e osso que viria e destruiria a cidade e acabaria com o sacrifico (e isto ococrreu em 70 d.C.). Por que o primeiro príncipe não seria também da mesma forma alguém de carne e osso que viria?
 

O que implica pra vc "ser cortado". Não estaria Daniel dizendo o mesmo que Is 53:8
 "...Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido".

Nem quando esteve, nem depois de ter morrido ouve o fim dos pecados e tampouco foi expiada a iniquidade;
Bom, discordo quanto a expiação, pois se Jesus foi o Cordeiro Santo que morreu pelo pecado a expiação foi total e absoluta.

O fim do pecado pode simplesmente apontar para o fim da aliança na Lei para a aliança feita na graça. Conforme Romanos 5 e 7.
 

Outra questão é que seguindo a cronologia do ocorrido, as 69 semanas apontam para o contexto histórico em que Jesus esteve na Terra. Ou seja, a probabilidade dele ter sido de fato o Messias é muito grande ou é muita coincidência.
 .
O Mashiach nascer de uma virgem para quê? Para não ter pecado? Então o ato conjugal é em sí um pecado? Onde diz isso no Tanach?
Então me responda uma coisa Pedro: O homem nasce pecador ou não?
 

D'us disse muito sobre o Mashiach mas nunca disse que seria Ele próprio encarnado. Ou disse?
Mas onde diz no NT que Jesus é o Pai?

Não disse que ele (Mashiach) iria ressuscitar e assumir o Trono do Eterno nos céus. Ou disse?
Onde diz que Jesus assumiu o Trono do Pai?

Não disse que todos o universo deveriam adorá-lo. Ou disse?
Não disse porque o AT não é uma revelação completa. Foi o advento do Messias que trouxe a revelação completa. Porque seria ele que encerraria toda a profecia. E de fato foi em Jesus que toda a profecia se encerrou.

O Mashiach sempre foi um servo do Eterno. Jesus se diz o próprio Eterno.
Se diz ser o servo do eterno e o Filho. Ele não disse ser o Pai.

Muitos homens foram apontados como sendo o Mashiach. Mas, se não fez a obra que o Mashiach deveria ter feito não é o Mashiach.
A questão é que Jesus fez e sua obra convenceu milhares de judeus e gentios. E convence até hoje.

Posso dispor de 2 textos para afirmar que do ponto de vista sob o qual se orienta o Cristão não!
Bom, eu não perguntei do ponto de vista cristão. Então me responda isso do ponto de vista de um judeu, por gentileza.

Para o seu governo, a fé cristã afirma que todos nascem pecadores.

(Isa 7:15) Manteiga e mel comerá, quando ele souber rejeitar o mal e escolher o bem.
Rejeitar o mal e escolher o bem pode apenas estar denotando a consciência, e não que o indivíduo não nasça pecador. Pois nesse caso, para ele escolher o bem, implica que antes não havia do mesmo modo uma praticidade do bem de modo consciente.
 

(Mat 19:14) Jesus, porém, disse: Deixai as crianças e não as impeçais de virem a mim, porque de tais é o reino dos céus.
Vixi, isso aí tem outra forma de ser entendida. Pode ser entendida que as criançinhas que virem até Ele, das tais é o Reino dos céus. Mas mesmo que eu dissesse que toda a criança pertence ao Reino dos céus, isso não implicaria impecabilidade, e sim que se o Reino dos céus pertence a elas é por meio da graça e não por não serem pecadoras.

Mas onde diz no NT que Jesus é o Pai?
tudo foi criado por ele e para ele..... porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade".
Onde está escrito acima que ele é o Pai? Me aponte em negrito, please!

(Tit 2:13) aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, que se deu a si mesmo por nós para nos remir
Onde está escrito acima que ele é o Pai? Me aponte em negrito, please! (2)

Onde diz que Jesus assumiu o Trono do Pai?

(Col 1:16) porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele.
Onde está escrito acima que ele é o Pai? Me aponte em negrito, please! (3)

Em se tratando disso então, uma criança morrer é uma vantagem e não uma tragédia. Pois se nascemos sem pecado, logo morrer criança é uma dádiva.

Pecado é erro no quesito em que todo o ser humano criança ou adulto tem a sua inclinação para o erro. Te pergunto uma criança é toda "bem"? Se há numa criança uma característica que denote o "mal" tua teoria cai por terra. Diante disso, me responda:

- Uma criança tem o desejo de matar?
- Uma criança manifesta egoísmo?
- Uma criança manifesta desobediência aos pais?

Se há uma tendência que temos que dominar, vc conhece alguém que em toda a sua vida dominou todas as tendências possíveis?
 

Se quando não a dominamos, como se faz para expiar o pecado nos dias de hoje? Fazendo o bem? Mas se é fazendo o bem, porque foi instituído o sacrifício de Abel, Noé, Abraão, levítico, etc?
 

Se Caim ainda não havia pecado, então por que Deus rejeitou a ele e a sua oferta?
E por que ele e Abel estavam oferecendo oferendas e sacrifícios? Ou isto implica justamente o contrário, que o fato de ser um pecador gerou nele a inveja e o desejo de matar seu irmão.
 

Filhos não morrerem por causa da iniqüidade dos pais implicam que estes filhos não tem seus próprios pecados para prestarem contas, ou que simplesmente cada um dará conta de si? E como vc aplica este princípio na questão do dilúvio? Ou não haviam crianças quando Deus trouxe o dilúvio sobre a Terra?

pois o pecado é rebeldia. (1Jo 3:4)
Vc conhece alguém que nunca em algum momento da sua vida transgrediu a Lei?

E vossos pequeninos, dos quais dissestes que seriam por presa, e vossos filhos que hoje não conhecem nem o bem nem o mal, esses lá entrarão, a eles a darei e eles a possuirão. (Deu 1:39)
Então vc propõe que uma criança não praticar o mal de modo consciente implica que ela não pratica o mal de modo inconsciente?
 

Além de que se o fato de nascer humano é requisito mínimo para ser pecador, Jesus nasceu portanto é pecador.
Não porque nessa questão há uma cláusula que aponta o fato dele não ter sido gerado por um espermatozóide humano e sim divino. O nascimento no pecado diz respeito aos que descendem de Adão. Cristo não descende de Adão e sim do Pai por meio do Espírito Santo que o gerou.

Jesus foi tentado, se foi é por que podia pecar ou seria apenas uma encenação inútil.
Se assim o fora, vc está dizendo então que Eva já era uma pecadora no Éden. Que os anjos antes da queda já eram pecadores. Me aponte onde na Bíblia diz que ser tentado é pecar?

Ah, mas nossa teologia diz que Jesus não podia pecar! Parabéns, Palmas para Ele.
Não diz. Esse é um espantalho que vc criou. O fato de Ele não poder implica unicamente que caso pecasse, toda a sua obra redentora cairia por terra. E, as demais conseqüências em termos metafísicos somente Deus pode calcular e dizer.

Quer dizer, seria o mesmo que um homem nascer sem Pênis e ser exaltado por nunca ter tido uma ereção!
Por isso Jesus tinha pênis e possivelmente teve ereções.

Nós nascemos todos com uma inclinção má e boa!
Certo, mas o problema Pedro é que mesmo uma criança não fica somente na inclinação. Uma criança para que o mal não a domine totalmente precisa ser sistematicamente e constantemente castrada destas inclinações pelos pais. Caso contrário, deixada a suas próprias escolhas, crescerá má. Por que será heim?
 

A má inclinação tende a querer prevalecer e nisso reside o aperfeiçoamento do ser humano, em conter a má inclinação e gerar frutos bons em tudo que fizermos.
Por que a má predomina no ser humano desde criança?

No principio criou D'us (O Eterno) os céus e a Terra.
Tudo foi criado por ele (Jesus) e para ele (Col 1:16)

Mas isto não diz que Jesus é o Pai e sim que quem criou os céus e a Terra foi Ele e que isso foi do agrado do Pai.
 

Eu, eu sou o Senhor, e fora de mim (O Eterno) não há salvador". O Senhor é o único Salvador (Isa 43:11)
E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, (Jesus) dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos".(Atos 4:12)
na justiça do nosso Deus e Salvador Jesus Cristo. (2 Pedro 1:1)

Mas isto não diz que Jesus é o Pai e sim que o Pai enviou Ele como o Salvador. Logo a Salvação procedeu da parte do Pai, porque foi o Pai quem o enviou.

o qual (Jesus é) sobre todas as coisas, Deus bendito eternamente. (Rom 9:5)

Aleluia! Jesus é Deus, mas não é o Pai.

Esqueça a "Trindade", não é o assunto do tópico.

Jesus é 33,333% deus.
Apenas se no caso de vc ser 50% humano como filho do seu pai. No caso tenha mais irmãos, vc divida com eles o restante de sua humanidade. Se tem 4 irmãos, então vc é 10% humano apenas.

Certo, Maria descende de geração expontânea. Bom saber! Maria é humana sendo assim descende de Adão ela é pecadora Jesus também o seria.
Não porque veja bem, um bebê de proveta apesar de ter sido gerado no ventre de uma mulher, o feto não é de fato descendente dela. Logo, nem as características dela ele herda. Se uma mulher branca serve do seu ventre para um bebe de proveta de pais negros, o bebê será negro. Este foi o caso de Jesus. Pois, foi o Espírito Santo que providenciou o bebê de proveta divino no ventre de uma mulher humana.
 

A idéia do nascimento Virginal é falha nesse quesito porque coloca o pecado como consequência do coito, não da humanidade.
Mas quem foi que tirou o pênis fora na história de Jesus? Se vc está disposto a ter um debate sério, se resuma a falar aquilo que a fé cristã de fato fala. Pare de criar espantalhos.

Caso contrário, deixada a suas próprias escolhas, crescerá má. Por que será heim? 
Não necessáriamente. As inclinações serão demonstraveis àqueles que vivam socialmente.
Não senhor, sem o fator das delimitações paternas, já é demonstrável que crianças sem limites são demônios sociais quando adultos.

Nós devemos superar a má inclinação, e aprendemos a fazer isso quando expostos a exemplos.
(Prv 22:6) Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.
(Ecl 7:20) Pois não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e nunca peque.

Pronto, vc acabou de afirmar o que eu disse acima.

A ideia de que a criança á má desde o nascer não é a realidade.
É sim senhor. Não diria 100% má. Mas com um inclinação para o mal. Nesse caso, não importa se a inclinação é de 1%. Se for de 1% ou 0,000000...1%. Isto por si só já denota que nasceu pecadora diante do Deus vivo. Basta um único pecado para nos separar dEle. Este único pecado requer remissão.

Crianças geralmente tem comportamentos assimilados. Suas escolhas se darão em razão e devido às atitudes e respostas que os adultos dão a elas.
Bom, pelo visto vc não é pai e não sabe o que é ter uma criança em casa. vc pelo visto nunca leu um livro de pedagogia. Tudo o que vc está dizendo concorda com o fator de que sem as delimitações paternas, uma criança crescerá como um problema social. A simples delimitação da Lei já denota que nenhum ser humano está absolutamente fora de tais delimitações. crianças são agentes morais que mesmo não tendo a completa consciência do ato, praticam tais atos. O único impedimento é a sua estrutura física para cometer crimes maiores.

Mas isto não diz que Jesus é o Pai
A Torah diz que o Eterno (B''H) criou.
A Torah diz que o Eterno (B''H) criou tudo sozinho.
O NT diz que jesus Criou.
O NT diz que jesus estava com deus e se ele não estivesse nada do que se fez teria sido feito.

Logo, o que o NT revela é que Jesus é o Eterno juntamente com o Pai e que portanto foi do agrado do Pai que o Filho criasse todas as coisas. Há uma glória compartilhada na pessoa de Deus. Jesus é YHWH, o Pai é YHWH. Eu sei que a compreensão absoluta de como se dá isso no ser de Deus não é uma tarefa fácil de se compreender. Mas só o que sei é que esta é a revelação neotestamentária. Porém, o que o NT aponta é que Jesus não é o Pai. E sim que o Pai delegou a Ele o ato criador do Logos de Deus.

Faça as contas, quem tem a preeminência da verdade?
DEUS revelado em seu Filho Jesus!

Tenha certeza absoluta na sua vida que se vc olhar e desejar vc queimará no fogo no inferno. Porém, se não queimar é por meio da graça que te leva ao arrependimento. Foi exatamente este conceito hipócrita que Cristo tratou ao dizer que o desejo diante de Deus denota o mesmo que o ato em si.

Mas quem te disse que a fé cristã condena todo o desejo físico? Lá vem de novo o homem de palha. Me mostre um texto que condene o desejo.

Quer dizer que a fé cristã condena ter fome? rsrsrs Onde?

O que eu sei também é que os cristãos em sua doutrina tem uma única esposa. Também sei que à luz do NT não fariam de prisioneiras de guerra suas esposas.

A Torah dada por D'us é sábia, a Teologia Cristã em alguns pontos chega a ser uma piada.
Não sei Pedro, creio eu que a melhor estratégia num debate é usar de argumentos válidos, e não simplesmente fazer uso de ridicularização.
 

Crianças não precisam de Pais Genéticos para terem limites. Crianças precisam de exemplos bons para aprenderem desde cedo a dominar toda forma de má inclinação.
Se é necessário dominar, o que se torna explícito é que é inerente a criança o que ela precisa dominar.

Rav Chachamovits disse: A missão na vida é fazer as escolhas corretas nos momentos das decisões morais.
Correto. mas isso não tem nada a ver com o fato que estou apontando. Fazer escolhas difere da condição inerente ao humano, sua inclinação para o mal.

E a fé cristã diz o contrário do que EC 2:24 diz?
 

Infelizmente a respeito de Jesus ser deus e ser filho e ser igual na essência da natureza do sei-lá-oquê não subsiste à luz da Torah.
Então a Torah tem que lidar com uma questão: Este Jesus que veio, que se disse ser o Messias, Ressuscitou e disse ser Ele o Filho de Deus e o próprio Deus. E disse também que a Torah falava acerca dele.

No mínimo vcs judaizantes tem que dar uma explicação teológica para o fato da ressurreição.

Aí nestas palavras se encontram a única força do Cristianismo.
Não sr. O Judaísmo tem uma pior. Se vc não obedecer em tudo a Lei vc não será salvo. O discurso da fé cristã é: DEUS por amor se fez carne nos livrou da condenação da Lei.

é que é inerente a criança o que ela precisa dominar.

Não foi o anjo que maculou. Quem maculou foi Eva. Aquela de quem todos descenderiam.

Te pergunto. Se todos nascem santos, porque bebes morrem se eles não são pecadores?

Eu não concordo com sua proposta de que somos livres para escolher. Não vejo esta liberdade de forma tão sistemática como vc propõe. Mas...

Já te disse que o que vc tenta fazer Mat 18:3 dizer é apenas uma interpretação equivocada. Já te respondi isso.

Quanto a mostrar o que no AT aponta para o que o NT diz. Bom, vc discordará certamente de que tais textos afirmam isso baseado nos gurus judeus que dizem ter recebido de Deus o legado de interpretar corretamente. E do outro lado eu direi que prefiro crer no que o Homem Jesus ressurreto disse acerca disso.

"E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras".
 (Lucas 24:27)
Se seus pais fosse pecadores por terem nascidos humanos ou se ele fosse pecador por ter nascido humano essas palavras não deveriam ter sido proferidas.
O fator ali não é impecabilidade meu amigo. O fator ali é de que o fato de ter nascido cego não implica em ter pecado.
 

Felizmente elas demonstram que Pecado é ato consumado.
Correto. Mas vc não é pecador porque peca, vc peca porque é pecador.

Homem morre por que é carnal.
Mas Adão morreria sem o pecado?

Quem deve obedecer?
Os que se encontram debaixo dela.

Ser salvo do quê?
Da condenação que implica em não obedecê-la.

Não peque denota a possibilidade de escolha.
Vc pode não pecar. Porém, isto não elimina o fator que estou tratando de ter nascido pecador.

Se antes de Jesus competia a nós escolher e se depois de Jesus compete a nós escolher pecar ou não;
Vc pode não pecar. Porém, isto não elimina o fator que estou tratando de ter nascido pecador.

significa que a vinda de Jesus foi indiferente a respeito dessa questão.
+ ou -. Porque toda a implicação neo-testamentário traz que somente por meio do novo nascimento o indivíduo pode de fato ser livre do poder do pecado.

Só tenho uma coisa pra te dizer:
Todo aquele que é nascido de Deus não pratica o pecado, porque a semente de Deus permanece nele; ele não pode estar no pecado, porque é nascido de Deus. 1 João 3:9

Se afirmarmos que não temos cometido pecado, fazemos de Deus um mentiroso, e a sua palavra não está em nós. 1 João 1:10

Aquele que pratica o pecado é do diabo, porque o diabo vem pecando desde o princípio. Para isso o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do diabo. 1 João 3:8

Se, porém, andamos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. 1 João 1:7

Todo aquele que nele permanece não está no pecado. Todo aquele que está no pecado não o viu nem o conheceu. 1 João 3:6

Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não está no pecado; aquele que nasceu de Deus o protege, e o Maligno não o atinge. 1 João 5:18

Meus filhinhos, escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo. 1 João 2:1

Eu nem vou usar a carta de Paulo aos Romanos pra destruir o teu espantalho. João já é suficiente para demonstrar o seu equívoco!

Vc pode ridicularizar o quanto vc quiser. Eu também poderia ficar aqui o dia todo ridicularizando vc e sua fé como estratégia.

Mas vamos nos poupar disso...

Se vc quer criar um espantalho para a sua concepção da soteriologia cristã, faça-o para vc. Até aqui eu estava tentando tratar do assunto de maneira séria sem ridicularizar.

Tudo o que vc concluiu acerca do que eu escrevi é um espantalho. Mas sejam felizes até que a morte os separe.

O que eu sei amigo é:
1. Jesus veio e destruiu as obras do Diabo na minha vida e de muita gente que conheço.
 

2. Ele se manifestou para tirar o Pecado da minha vida. O texto diz o que diz para os nascidos de Deus, não para os judeus e pagãos.

3. Eu não vivo na prática do pecado.

4. Creio que Jesus é o Cristo, portanto sou nascido de Deus.

5. O Diabo não me atinge

6. Se eu peco é por uma decisão minha. O diabo não tem nada a ver com isso.

7. A unica coisa destruída que vejo é a capacidade dos judaizantes em não enxergarem a total falência de sua religião na história.
 

8. A bondade e a misericórdia do Eterno se manifestou ao enviar seu Filho para morrer a minha falência. Enquanto isso, vai cortando o minininhu... quem sabe vc seja salvo sr. eunuco.

9. Engraçado. Todas as demais religiões do mundo e até alguns ateus reconhecem que Cristo foi sábio e portador de um Espírito grandioso. Mas os eunucos não admitem. Os eunucos sempre foram assim. Eles rejeitaram Deus no AT. E quando este vem em Carne, eles fizeram o mesmo e fingiram uma devoção ao Deus que haviam negado.


Pedro:
1. Vc deveria saber que esta sua estratégia se chama falácia do tipo A e B. Portanto, se ateus se comportam como eu, não elimina o fator que a minha vida e a vida de muita gente que eu conheço mudou por causa de Jesus. Ou seja, se não fosse a experiência cristã, estaríamos na mesma merda de vida. Parabéns para os ateus que vivem uma vida digna e humana. Mas este fato não elimina a experiência cristã.

Concluindo: Equivoco seu!

2.
 A sua Biblia tal qual as minhas dizem exatamente o oposto.
"porque Deus amou o mundo de tal maneira que enviou seu Único Filho para que todo aquele que
 NELE crê não perece mas tenha a vida eterna".

O que vc entende com "nascer de novo" na experiência cristã?


(Joã 1:29) No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

Mas isso só tem eficiência para os nascidos de novo filhinhu.

É somente para os que crêem nEle!

Ele se manifestou para tirar o pecado do MUNDO.
Mas isso não é uma realidade!
É somente para os que crêem!

(Mat 15:24) Respondeu-lhes ele: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.
Correto! Só que depois da ressurreição ele ordenou o seguinte:
 Ide por todo o mundo e faça discípulos de todas as nações!Tampouco eu o faço! Peco quando quero e por que quero ora tomo consciência do meu erro, outras o faço incoscientemente!
E como vc faz expiação deles?

E o que Jesus tem a ver com isso se depende apenas de você ou de mim?
Tem a ver que foi Ele quem deu a mim o poder e a liberdade para ser livre do poder do pecado. Antes o bem que eu queria eu não fazia, e o mal que eu não queria eu fazia.

Fatos meu caro PIPE, são os fatos que te causam inquietação!
Na verdade são 3 coisas: O mundo, a carne e o diabo.

Descontradiga os Fatos com Fatos não com doutrinas.
Fato: Antes eu pecava a torto e direito. Em Cristo esta realidade mudou. Fato!

Não pense que eu vejo apenas com olhares externos e achismos. Eu vivi, convivi com tudo isso que você defende, desde o banco, pulpitos às salas da presidência Ministerial
Vc nunca experimentou de fato a liberdade em Cristo mr. Pedro. Sua experiência pra nós é irrelevante diante deste fato.

"Estai, pois, firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a colocar-vos debaixo do jugo da servidão".
 Gálatas 5:1

Vc é um escravo da Lei!

Me responda Pedro, como fica pra vc este fato:
2 Samuel 12:12-13
 "Então Davi disse a Natã: "Pequei contra o Senhor! " E Natã respondeu: "O Senhor perdoou o seu pecado. Você não morrerá. Entretanto, uma vez que você insultou o Senhor, o menino morrerá".

Diante deste fato:
Ezequiel 18:20
 "Aquele que pecar é que morrerá. O filho não levará a culpa do pai, nem o pai levará a culpa do filho. A justiça do justo lhe será creditada, e a impiedade do ímpio lhe será cobrada"

?????????????????????????????????????

Não filhinhu. Não se trata de capacidade de fazer o bem. Se trata de capacidade de não ser mais dominado pela inclinação de fazer o mal. 

A tua premissa esbarra nas milhões de vidas na história que foram mudadas pelo testemunho interno do novo nascimento em Cristo. Não adianta espernear.
 

Eu não disse que minhas escolhas ruins são fruto do diabo. Eu disse que as implicações agora obedecem 3 fatores: O mundo, a carne e o diabo. E mesmo diante destas 3, todas implicam em escolhas minhas. Elas não exercem mais domínio sobre mim.
 

Bom, se estamos falando de experiências relativas, então se se trata unicamente entre escolher o bem e o mal e todos, inclusive ateus o fazem todos os dias. Isto implica então que a tua premissa conclui que islamicos, hinduístas, ateus, quando fazendo escolhas para o bem, estão na mesma equivalência diante de Deus como qualquer judeu. Então, pra que ser judaizante? Não foi vc mesmo que disse que ateus obedecem a lei todos os dias? Então isto implica que eles são salvos.

O Eterno disse e isto tem preeminência sobre aquilo que Apóstolos ou Jesuses venham a falar em nome do Eterno:
Não porque Jesus é o Eterno!

Não pregamos outro Deus. Há um só Deus: Jesus!

O Sacrificio está entre os estatutos que não compreendemos perfeitamente. D'us estabeleceu a forma, mas afirma que não partiu dele esse desejo. Isso mostra o quanto D'us é bondoso, não privando o homem de uma maneira comum de honrá-lo.
Filhinhu, Deus estabeleceu até a forma em que se devia fazê-lo. Aí do sacerdote que adentrasse impuro no santo dos santos. Não tem nada a ver com honrá-lo. Era sangue sendo derramado por causa do pecado de Israel. Que interpretação idiota!

Entendo que a morte teve como finalidade um bem maior para o reinado de Davi, e não foi um castigo onde o filho foi apenas condenado pelo erro de Davi.
Fato: O menino morrendo ou não morrendo apenas pelo pecado de Davi, o fato é que ele morreu também pelo pecado de Davi.

Se se trata apenas disso Mr. Pedro, então na prática os islâmicos também crêem em Alá e não praticam o mal. 

Logo, pra que ser judaizante? O judaísmo é só mais uma religião insignificante diante da grandeza do islamismo. E na prática, eles estão conseguindo muito mais adoradores para Yahweh do que vcs judaizantes.

Então me diga. Se se trata apenas de escolher entre o bem e o mal, por que devo ser judeu e não islâmico?

O cordeiro animal oferecido para expiação não era morto.
Não né:

Holocausto: Lv 1; 6:8-13; 8:18-21; 16:24 ... nenhum bichinhu era morto... rsrsrsrs.. era só de devoção né? rsrsrsrs

Oferta pelo pecado: Lv 4:1 - 5:13; 6:24-30; 8:14-17; 16:3-22... nenhum bichinhu era morto... era só devoação né? rsrsrsrs

Oferta pela culpa: Lv 5:14 - 6:7; 7:1-6... nenhum bichinhu era morto... era só devoção né? rsrsrsrs

Não interessado se existe A e B. A não elimina o B. O fato é que o B é verdadeiro mesmo o A também sendo. O fato é que o B (Jesus) mudou a vida de milhões de pessoas. 

Isto implica então que a tua premissa conclui que islamicos, hinduístas, ateus, quando fazendo escolhas para o bem, estão na mesma equivalência diante de Deus como qualquer judeu.

Os islâmicos fizeram para sí deuses que não falam, não ouvem, e não itervem a favor do povo que os adora? rsrsrsrs... quais deuses os islâmicos criaram?

Mas se é apenas umas questão de obedecer leis, então é irrelevante ser judeu ou não. 

Cristãos do mesmo modo:
1- Crêem em D'us. Não servem a ídolos.
2- Não blasfemam.
3- Não roubam.
4- Não assassinam - Respeitam a vida humana
5- Não cometem adultérios ou imoralidades sexuais.
 
6- Estabelecemos a Justiça.
7- Não comemos animais vivos e não somos cruéis com animais.

Se a lei de Noé é universal e basta obedecê-las, pronto, ser judeu ou não é irrelevante.

O cordeiro animal oferecido para expiação não era morto.
Estou falando do sangue daquele animal que era expargido sobre o propiciatório uma vez por ano pelo sumo sacerdote.
 

Portanto são as leis de Noé que trazem destruição, e é irrelevante ser judeu ou não.

Em se tratando de Monoteísmo pode até ser que o termo seja mais propício para a fé islâmica. Apesar de que o cristianismo defende a si mesmo como monoteísta. Portanto é só uma questão de revelação e terminologia.
 

Os islâmicos tem se mantido fiéis a Alá nestes 1.500 anos e somente a ele adorado. Quanto ao povinho que vc defende, não preciso nem demonstrar o contrário disso, basta ler todo o AT. Basta lembrar que até bem pouquinho tempo atrás nem terra eles tinham. E se não fosse as nações cristãs, o povinho estaria por aí peregrinando como conseqüência de ter crucificado o Filho de Deus. Coincidência né? O Messias vem na Terra e os Gurus judeus não o reconhecem e o crucificam em "obediência" a sua Lei, o acusando de blasfêmia. Eles gritam "que seu sangue recaia sobre nós". Quarenta anos depois eles são espalhados pelo mundo todo e somente há 60 anos por misericórdia dos cristãos são restabelecidos a um pedaço de terra.

Te pergunto Pedro: O que este povo fez de tão grave para ficar 2.000 anos espalhado pelo mundo? Não é muita coincidência?

Vc não me respondeu ainda: Que tipo de sacrifício vc faz como oferta pelos seus pecados?

O fato é que é irrelevante outros fatores na vida destas pessoas que unicamente atribuem suas mudança a sua experiência pessoal com Cristo. logo estes que tiveram suas experiências com Cristo atribuem a Ele toda glória por terem suas vida mudadas.

O que se conclui na sua premissa é que:
1. Todos os islâmicos são salvos desde que obedeçam o pacto de Noé. Foi a primeira vez na história que um judaizante diz que os árabes todos estão salvos.

2. Que ser ateu, judeu, cristão, ou qualquer outra coisa é irrelevante como experiência. Porque a única experiência que se tem entre o humano e Deus é obedecer regras.

Logo, se um islâmico crê em Deus e obedece regras está salvo.
Logo, se um cristão crê em Deus e obedece regras está salvo.

Logo, ser judeu é irrelevante. Acredito que seja até não recomendável, uma vez que estes como nação demonstraram todo o seu impulso pelo paganismo, adultério e inclusive ignorância para com o Messias. Inclusive estes não tem nem um templo e nem sumo sacerdote para fazer a expiação pelo seu pecado.

Toda e qualquer experiência religiosa sobre a face da terra diante de tua premissa é mais relevante do que ser judeu. Porque ser judeu já foi demonstrado na história que não carrega sobre ela nada que implique de atrativo a seguí-la. Uma vez que o seu Deus os entregou a própria sorte durante mais de dois mil anos de história. E ainda assim só estão ainda sobre aquele pedaço de terra porque as nações cristãs com o seu Deus as protegem. Caso contrário, Deus não os defenderia do pé-na-bunda que receberiam dos islâmicos que servem o mesmo Deus. Pra que ser judeu? Coisa inútil! Porém, meu amigo, se a fé cristã for de fato o que ela chama para si, judeus e islâmicos tem um sério problema em mãos: A ignorância para com o Sangue do Messias que foi derramado naquela cruz!

Te pergunto Pedro: O que este povo fez de tão grave para ficar 2.000 anos espalhado pelo mundo? Não é muita coincidência?

Vc não me respondeu ainda: Que tipo de sacrifício vc faz como oferta pelos seus pecados?

Concluindo:
1. Israel não é referência e nem autoridade para falar em nome de Deus. Portanto, ser islâmico é mais atrativo. Porque estes que eu saiba foram mais abençoados porque tem suas terras em mãos até hoje. O Contrário do povinho que vc se pendura no saco. 

2. Se a espiação do pecado se dá pelo que Daniel disse, então pra que sacrifício? Pra que complicar? Se bastasse isso, pra que matar aquele monte de animais?

Ou seja, mais um blábláblá... que não resiste ao fato de que Jesus veio e coincidentemente todo o sacrifício foi abolido.

Só não vê quem é cego e teimoso.

O maior crime denunciado pelos apóstolos quanto aos judeus foi o fato de terem crucificado o Rei da Glória. Fato 2 a história por si só denuncia esta verdade.

O Cristianismo se apropria da literatura hebraica porque Deus se fez carne e é dele a literatura hebraica. Portanto, Jesus como Deus é o dono da literatura hebraica.

Esse certo alguém ressuscitou! Ele disse ter vindo primeiro para Israel e depois para o restante do mundo.

Se alguém adulterou foi o próprio Cristo. Porque tudo o que ensinamos ou dizemos foi dito e ensinado por Ele.

Moisés é um cocô perto de Cristo. Moisés está enterrado e só o pó. Jesus é o Senhor de Moisés.

Não disse que Deus se esqueceu deles. Disse que este povinho é o povinho mais jaguara da história. O povo de Deus agora se chama Igreja e unicamente para com esta Ele tem uma aliança. Vcs judaizantes são escravos de uma lei que os condena. Vcs estão separados da graça e condenados pela própria lei.

Deus não os rejeitou. Só deixou eles se lascarem em 2.000 anos de história. Só isso!

(Zac 8:23) Assim diz o Senhor dos exércitos: Naquele dia sucederá que dez homens, de nações de todas as línguas, pegarão na orla das vestes de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.

Cadê esse dia? Se eu não me engano isso já ocorreu na vida de doze judeus que viviam na Palestina e que mudaram a história da humanidade. Quer que eu soletre o nome deles. Um deles começa com P e termina com aulo. Estes são os únicos judeus na história desde Adão que hoje são admirados e tidos como mestres nos quatro cantos da Terra. estes são os únicos judeus cujos ensinamentos tem sido ensinados nestes 20 séculos de história.
 

Eu não fico somente com o NT. Eu fico com os dois à luz do NT. Porque sem o NT o AT é uma aliança falida demonstrada explicitamente na história de Israel. Sem a nova aliança no sangue de Cristo, só o que sobra é a história falida de Israel como nação e povo de Deus. Compare a gloriosa história da fé cristã com a vergonhosa história de Israel. Com quem vc acha que Deus está?


terça-feira, 14 de março de 2017

Livro: "Fé, Esperança e Tecnologia" de Egbert Schuurman

- Ciência e fé cristã em uma cultura tecnológica - 

Editora Ultimato

Cuidadosamente documentado, Fé, Esperança e Tecnologia chega à conclusão inevitável de que a tecnologia moderna não entrega a liberdade que promete, mas, em vez disso, escraviza e degrada a sociedade em que vivemos.
– Hans Boersma 

O avanço da tecnologia nas últimas décadas é maior do que em qualquer outra época da história. Como lidar com tantos benefícios e também com os danos da tecnologia sobre a cultura e a sociedade?

Estamos entorpecidos pela tecnologia, indiferentes à sua aliança com a economia e sem perceber a natureza e as limitações do pensamento científico e tecnológico. Para Egbert Schuurman, a veneração da ciência e o tecnicismo nos levam a uma percepção equivocada em muitas áreas da cultura e da ciência.

Fé, Esperança e Tecnologia oferece uma abordagem bíblica e filosófica sobre o impacto da tecnologia na cultura e no comportamento social.

domingo, 12 de março de 2017

INFORMAÇÃO CIENTÍFICA CONTIDA NA BÍBLIA

Carlos F. Steger – Professor e Museólogo da Universidade Adventista do Prata
Ex-Diretor da Sub-sede do Geoscience Research Institute
na Divisão Sul-Americana da Igreja Adventista do Sétimo Dia

Professor Carlos
F. Steger.

Que relação tem a Bíblia com a natureza ou com a ciência que estuda a natureza? O livro Educação, p. 124, diz: “O livro da natureza e a Palavra escrita esclarecem-se mutuamente.” “ ... As afirmações ... científicas da Bíblia são confiáveis”. Alguns Exemplos de Declarações Bíblicas de Conteúdo Científico:

A Tamargueira
Abraão plantou tamargueiras em Berseba (Gên. 21:33). O Dr. José Weitz, botânico israelense,
diz: “seguindo seu exemplo, plantamos... dois milhões de mudas. Abraão fez o que era certo, pois ... é uma das poucas árvores que ... prosperam naquelas regiões do Sul, onde a precipitação anual
chega a menos de 150 mm”. (26)

Tamargueiras

O Sangue
Gênesis 9:4 e Levítico 17:11,14 dizem que a vida do animal depende de seu sangue. Somente em 1615 William Harvey descobriu as funções do sangue, descoberta que divulgou desde 1619 em suas conferências, e que publicou em 1628. (27)

Uma só linhagem humana
Durante milênios imperou a opinião de que os seres humanos não eram todos iguais, e que, segundo sua origem, sua nacionalidade, sua condição sociocultural, sua cor ou sua raça (como os negros, por exemplo) podia-se classificá-los em diferentes categorias, algumas superiores (de “sangue azul”, como a nobreza) e outras inferiores (os servos e escravos). No entanto, no primeiro século de nossa era, Paulo afirmou (Atos 17:26) que a “linhagem humana” tinha uma origem comum (“de um só sangue”), o que de fato possibilita as transfusões de sangue que salvam tantas vidas. Os grupos sanguíneos conhecidos são totalmente independentes dos fatores mencionados. (28)

Número de Estrelas
Quando Deus anunciou a Abraão que sua descendência seria tão incontável como as estrelas (Gênesis 15:5 e 22:17),os sábios da época criam que seu número era muito limitado. Deus repetiu a mesma promessa em relação à descendência de Davi em Jeremias 33:22. Ainda no século XX os astrônomos
reconheciam que o número de estrelas “visíveis a olho nu em todo o céu” alcançava somente 6.000. (29) No entanto, falando do universo conhecido, afirma Stephen Hawking que “nossa galáxia é só uma entre as várias centenas de bilhões de galáxias e que cada uma delas contém centenas de bilhões de estrelas”. (30) E pensar que Deus sabe quantas são, e as conhece por seu nome! (Isaías 40:26).


Medidas Exatas
Recentemente, no século XX, especialmente desde que o homem conseguiu lançar sondas espaciais e
satélites artificiais com instrumentos científicos para fora da atmosfera terrestre absorvedora de irradiações (31), as aparentemente simples palavras de Jó, com a pergunta: “Quem ordenou suas
medidas?” (Jó 38:5), referindo-se à Terra, adquirem seu verdadeiro significado.

A localização da Terra no Sistema Solar, seu tamanho e composição que determinam a força da gravidade, sua temperatura, sua atmosfera complexa (troposfera, estratosfera, ionosfera, mesosfera, e exosfera (32)) ou “envoltura gasosa” que tem múltiplas funções, sua velocidade de rotação, a presença da água com suas excepcionais características, a relação entre as superfícies de água e de terra, as leis físicas que a regem, a relação entre a distância e o tamanho da lua, todos são fatores extremamente críticos para a existência da vida na Terra. (33)

Isaías 45:18 diz que “Deus criou a Terra para que fosse habitada”. “As leis da ciência, tal como as conhecemos atualmente, contêm muitas grandezas fundamentais. O fato notável é que estas grandezas parecem haver sido ajustadas sutilmente para tornar possível o desenvolvimento da vida”. (34)

Esfericidade
Mesmo que houvesse escritores antigos, como Lactâncio, que negavam a esfericidade da Terra, (35) a Bíblia já a afirmava em Provérbios 8:27 e Isaías 40:22.

Segundo alguns autores, Colombo inferiu a esfericidade da Terra baseando-se nestas passagens, o que talvez também não tenha sido bem assim. (36) Disse Rodó: “Este livro infundiu em Colombo o pressentimento da descoberta inaudita”. (37) Mason afirma que o que fezColombo tentar a aventura de viajar em direção ao ocidente para chegar à Índia, foi a distância que Cláudio Ptolomeu havia
estabelecido erroneamente ao calcular a circunferência da Terra. (38) O grego Possidônio de Apamea no primeiro século a.C. já havia cometido o mesmo erro ao fazer esse cálculo, em que pese o fato de que um século antes, Eratóstenes de Cirene houvesse calculado corretamente a circunferência da Terra. (39) Colombo não somente seguiu a Ptolomeu, como a Toscanelli, e especialmente ao Cardeal
Pierre d’Ailly em seus cálculos. (40) O mais notável é que os cálculos de Colombo se apoiavam cegamente no livro apócrifo Esdras Quarto 6:42 e 47. (41)


Heliocentrismo
Em que pesem as crenças da antigüidade que afirmavam que a Terra estava fixa e imóvel, sustentada por elefantes, por tartarugas ou pelo gigante Atlas, (42) no Livro de Jó já estava revelado que “a Terra está suspensa no vazio” (Jó 26:7 e 38:6).

Copérnico chegou a essa conclusão em seus escritos concluídos em 1530 (43) (embora tenha publicado o seu livro somente em 1543), (44) expondo o “novo sistema do mundo”, o heliocêntrico, (45) hipótese que já havia sido enunciada por Aristarco de Samos no terceiro século a.C., e que, no entanto, os seus contemporâneos gregos não aceitaram. (46) É interessante notar que Copérnico fala
de “charlatões” que julgariam sua obra “baseados em alguma passagem das Escrituras, deformando-as especialmente para seus propósitos”. (47)

Peso do Ar
Que o ar tem peso, como é dito em Jó 28:25, foi descoberto modernamente em 1643 por Evangelista Torricelli, discípulo de Galileu, ao efetuar a medida da pressão atmosférica. (48)

O Relâmpago
O que os físicos descobriram nos últimos séculos, Jó já afirmava (Livro de Jó 28:26; 38:25): que as descargas elétricas, como o relâmpago, “seguem um caminho”. (49) A aplicação mais conhecida desta descoberta é o pára-raios inventado por Benjamin Franklin em 1752. (50)

A Água
Em Eclesiastes 1:7; Amós 5:8; Jó 26:8; 36:27-28; 38:28 e 37 fala-se do ciclo meteorológico, ou ciclo da água. “Logicamente deveria ver-se aqui – e assim se vê no século XX – o interessante indício de que os hebreus eram acurados e reflexivos observadores que souberam delinear o interessante problema do ciclo da água”. (51)


As Nuvens
Em Jó 37:16 é feita a pergunta: “Tens tu notícia do equilíbrio das nuvens ... ?” sugerindo o que a meteorologia reconhece atualmente, ao classificar as nuvens pela sua forma e aspecto (52), fatores que se levam em consideração para prever certas mudanças climáticas.

A isto podemos acrescentar Mateus 16:2-3 e Lucas 12:54-56, passagens nas quais Jesus faz referência ao conhecimento empírico de seus contemporâneos, baseado na observação e na experiência, para prever o tempo. Já na época em que foi escrito Eclesiastes, reconhecia-se que, apesar de toda a experiência em relação ao clima, este não era de todo confiável (Eclesiastes 11:4), como ainda acontece com os prognósticos meteorológicos. (53)

Transporte hídrico
Em Jó 26:8 usa-se uma expressão muito ilustrativa ao dizer que Deus “prende as águas em densas nuvens, e as nuvens não se rasgam debaixo delas”. Talvez alguém veja aqui alguma alusão à crença da antiguidade de que as nuvens eram odres, recipientes que eram quebrados pelos deuses para que caísse a chuva. Jó 36:27 opõe-se a essa interpretação ao declarar que Deus transforma “o vapor em chuva”. (54) Se lermos com atenção, descobriremos que a ênfase da primeira passagem se refere ao fato de tal quantidade de água, como a que as nuvens contêm, poder permanecer em suspensão por muito tempo e percorrer grandes distâncias antes de cair.


O Firmamento
Jó 37:18 fala dos “céus” (55), “envoltura gasosa” do planeta, “estendidos firmes como um espelho”, o que nos recorda a palavra firmamento.

Segundo a ciência contemporânea, os diferentes “matizes” de cor azul do céu devem-se à espessura das camadas de ar (56) dessa “envoltura”, porque o espaço extraterrestre é negro. (57)

Genética
Será o Salmo 139:16 uma referência ao código genético, descoberto em nosso século? Desde a década de 1920 os pesquisadores têm trabalhado febrilmente para decifrar este código. (58)

Liberação de Energia
A descrição profética que fazem as passagens de II Pedro 3:10 e 12 pode ter sido considerada fantasiosa até a algumas décadas. Unindo as duas passagens poderíamos ler: “Os céus incendiados serão desfeitos e passarão com estrepitoso estrondo e os elementos se desfarão abrasados; sendo queimados se fundirão, e a terra e as obras que nela existem serão atingidas”.

Atualmente, desde que em 1945 foram lançadas as bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki (59), esta descrição assume novo vigor ao mencionar as manifestações luminosas, sonoras e térmicas da liberação de energia. (60)

O Vento
O comportamento do “vento” é mencionado em várias passagens como “intrigante” (61).

Embora os meteorologistas já houvessem descoberto os “caminhos” do vento, muitos aspectos dele ainda eram incógnitas tratadas com suposições, até a Segunda Guerra Mundial. (62)

Granizo
Jó fala da origem e formação do granizo como um enigma. (63) Ainda em 1962 Battan reconhecia: “Até agora não temos respostas satisfatórias ... Não faz muitos anos, a maioria das idéias sobre esse tema não passava de simples conjecturas”. (64) Atualmente, a ciência nos pode dar uma explicação a esse respeito. (65) Relacionada com o granizo, está a descoberta de que muitas nuvens altas são formadas por partículas de gelo, e um dos fenômenos que o revela são os “halos” que podem adotar diferentes aspectos. (66)

Precipitação
Em Jó 28:26 são mencionadas as “leis para a chuva” (A Bíblia de Jerusalém diz que Deus pôs “leis para a chuva”). Mais recentemente, em 1880, Aitken demonstrou que o vapor d’água das nuvens se condensa sobre “núcleos”, chamados por isso de “núcleos de condensação”, para que se formem as
gotas que caem na terra como chuva. (67) Além desta condição essencial, há outras que devem cumprir-se para que se produza a precipitação, que a meteorologia continua pesquisando. (68)
Obedecendo às leis da chuva, pode-se mencionar o fenômeno óptico do “arco-íris”, relacionado com a mesma (69).

A Neve
Outro desafio para os sábios da antiguidade era a neve. Assim, Jó 38:22 fala sobre os “depósitos da neve”. Outras passagens referem-se ao mesmo tema, ou às características especiais da neve. (70)

“Nos primeiros anos da década de 30, o famoso meteorologista norueguês Tor Bergeron propôs uma teoria sobre as precipitações (de chuva e neve), a qual ainda se considera válida em sua maior parte”. (71)


Mecânica Celeste
Em Jó 38:33 Deus lhe pergunta: “Sabes tu as ordenanças dos céus ... ?” (72) Com certeza a referência é feita à composição do universo e às leis que o regem. À passagem citada podemos agregar Jó 9:9; 38:31 e 32; Salmo 148:3-6, onde são nomeadas algumas constelações conhecidas desde a antiguidade.

À medida que a cosmografia ampliava a descrição do universo, a cosmologia ia ajustando a interpretação dos grandes princípios que o regem. Podemos dividir a história da cosmologia em três partes. A anterior a Newton, de Newton a Einstein, e a posterior a este. Antigamente, a cosmologia se guiava por certos princípios intuitivos, que foram abandonados diante das idéias de Galileu, (73) e das leis de Kepler, (74) até que Newton, “o fundador da Mecânica Celeste”, descobriu a célebre lei da
“Gravitação Universal” que leva seu nome, exposta em seu livro “Principia” publicado em 1686. (75) Desde esse momento foi possível explicar fenômenos astronômicos intrigantes, (76) assim como predizê-los. Finalmente, desde Einstein, que introduziu o conceito da “quarta dimensão, o tempo”, com sua teoria da relatividade, (77) a cosmologia entrou em sua fase atual.


E as leis que regem o cosmos? À medida que o homem fez incursões no universo com seus recursos científicos e técnicos, reconheceu que este responde a leis cada vez mais complexas. O cientista S. Hawking, uma das mentes mais notáveis atualmente, diz: “A ciência parece haver descoberto um conjunto de leis que ... nos diz como evoluirá o universo... Estas leis podem ter sido ditadas originalmente por Deus ... Toda a história da ciência tem consistido numa compreensão gradual
de que os fatos não ocorrem de uma forma arbitrária, mas que refletem uma certa ordem subjacente, a qual pode estar ou não divinamente inspirada”. “As leis da ciência, tal como as conhecemos atualmente, contêm muitas grandezas fundamentais ... O fato notável é que os valores dessas grandezas parecem ter sido ajustados sutilmente para tornar possível o desenvolvimento da vida”. (78)

Outros temas seriam:
O comportamento paradoxal da água, que ao resfriar-se abaixo de 4° C, se dilata em vez de contrair-se como as demais substâncias. Qual será o propósito disto? (Jó 37:10; 38:30).

O desenvolvimento embrionário do ser humano, de maneira maravilhosa, segundo Salmo 139: 13-17; 71:6; Jó 10:9-13.

As medidas profiláticas para a prevenção das enfermidades, constantes de Levítico 11:32-43; 13:1-13.

Certamente, ainda existem afirmações bíblicas que constituem um desafio para a pesquisa científica. O fato de haver contínua pesquisa científica é a melhor evidência do reconhecimento de não termos ainda respostas a todas as questões que a natureza requer da ciência.

Notas e Referências
Se não indicado ao contrário, usou-se a Bíblia traduzida por João Ferreira de Almeida, edição
revista e atualizada.

(26) Keller, W. (1957), E a Bíblia Tinha Razão. Edições Melhoramentos, 3ª ed., 1958, S. Paulo,
p. 358.
(27) Belmes, P. G. e L. G. Belmes. (1956), Salvadores de la Humanidad. Buenos Aires, Ed. Anaconda, pp. 26, 28.
(28) Guyton, A C. (1995), Tratado de Fisiología Médica. 8ª ed. Madrid, Interamericana MacGraw-
Hill, p. 402.
(29) Loedel, E. e S. De Luca. (1949), Cosmografía. 3ª ed. Buenos Aires, Angel Estrada,p. 59.
(30) Hawking, S. W. (1988), Uma Breve História do Tempo. Rocco. Rio de Janeiro, 1997, p. 63.
(31) Além da conhecida astronomia óptica e da radioastronomia, surgiram a astronomia infravermelha, a ultravioleta, a dos raios X e a dos raios gama. Pailer, N. (1996), Neues aus der
Planetenforschung. Unerwartete Ergebnisse durch Weltraumsonden. 3ª ed. Neuhausen-Stuttgart, Hänssler-Verlag, p. 3.
(32) Petterssen, S. (1962), Introducción a la Meteorología. 3ª ed. Madrid, Espasa-Calpe, p.26 Medina, M. (1976) Iniciación a la Meteorología. Panorama actual de la Ciencia del Tiempo. 4ª ed. Madrid, p. 245.
(33) Ritland, R. M. (1972), En busca de un sentido para la naturaleza. Ldor. S. Martín, Ed. C.A.P.,
pp. 65-82.
(34) Hawking, p. 176 e seguintes. “Seria muito difícil explicar porque o universo deveria ter começado justamente desta maneira, exceto se o considerarmos como um ato de um Deus que pretendesse criar seres como nós.” Id., p.179.
(35) Copérnico, N. (1965) Las Revoluciones de las Esferas Celestes. Libro 1º. Introducción y
notas de Alejandro Koyré, Buenos Aires. EUDEBA, p. 44.
(36) Aparentemente não eram estas passagens as que inspiravam Colombo já que em seus dias a redondeza da Terra era “a doutrina geralmente aceita por cristãos, mouros e judeus”. Pode-se deduzir que Colombo apoiava a ideia, das notas marginais que fez a esse respeito em seu “livro favorito, ‘Ymago Mundi’ do Cardeal d’Ailly, chanceler da Universidade de Paris”, que afirmava a esfericidade da Terra. Madariaga, S. de (1952), Vida del muy Magnífico señor don Cristóbal Colón. 5ª ed., México. Editorial Hermes, p. 143.
(37) Rodó, J. E. (1956), Obras completas. 2ª ed. Buenos Aires, Ed. Antonio Zamora, p. 338.
(38) Mason, pp. 61, 62.
(37) Idem, pp. 58, 59.
(40) Toscanelli cria que a distância da Espanha até a Índia, indo em direção ao leste era menor do que realmente era. Colombo compartilhava essa opinião e estimou esta distância como sendo ainda menor, baseando-se especialmente no livro do Cardeal d’Ailly. Por isso opina: “com bom vento se pode cruzar este mar em poucos dias.” Madariaga, p. 144.
(41) O argumento escrito por Colombo aos reis, diz: “ajuda-me o dizer de Esdras Quarto, Capítulo 6, que diz que as seis partes do mundo são de terra seca, e uma é de água, livro aprovado por Santo Ambrósio em seu Hexamenon, e Santo Agostinho”.
(42) Dolmage, C. C. (1915-1918), El universo al día. Barcelona, Sociedad General de Publicaciones, p. 18.
(43) Copernico, p. 14. “Introducción de Alejandro Koyré.
(44) Idem, p.18.
(45) Loedel, De Luca, p. 311. Copérnico “em ‘De Revolutionibus Orbium Coelestium’ expõe
um novo sistema do mundo”. Já em 1514 havia proposto este sistema, segundo Hawking p. 20.
(46) Boido, G. (1996), Noticias del planeta Tierra. Galileo Galilei y la revolución científica. Buenos Aires. “A. Z.” Editora, p. 24. Mason, pp.57-59. Moulton, F.R. e J.J. Schiffers. (1947), Autobiografía de la Ciencia. México, Fondo de Cultura Económica, p. 13.
(47) Copernico, p. 94. A nota de A. Koyré esclarece que “As passagens geralmente citadas contra o movimento da Terra são as seguintes: Salmos, IX, 9; XII, 12; Eclesiastes, XXV, 25”. Dos três textos o único que encontramos é o Salmo 9:9 que, na versão de Torres Amat fala da redondeza da Terra.
(48) Fernandez, J. S. e E. E. Galloni. (1960), Física Elemental, Tomo I, 5ª ed. Buenos Aires, Editorial Nigar, p. 245. Mason, p. 315. A pressão atmosférica se mede com o barômetro, e no século XVII Galileu demonstrou que os gases têm peso. Maiztegui, A.P. e J.A. Sábato. (1958), Introducción a la Física. Tomo I., 7ª ed. Buenos Aires, Editorial Kapeluz, p. 59. Medina, pp. 20 e 21.
(49) Fernandez, J. S. e E. E. Galloni. (1958), Física Elemental, Tomo II, 5ª ed. Buenos Aires,
Editorial Nigar, pp. 441 e 442. Fleuchtner, H-J (1958), Tú y el Tiempo. Vision de la moderna
meteorología y de sus principios científicos, Barcelona, Editorial Labor, pp. 234 e 235 explica como se produz o “caminho” para o raio.
(50) García Font, J. (1968), Historia de la Ciencia. 3ª ed. Barcelona, Ediciones Danae, pp 392 e 393.
(51) Cailleux, A. (1972), Historia de la geología. 2ª ed. Buenos Aires, EUDEBA p. 33.
(52) O primeiro a propor uma classificação das nuvens foi Luke Howard em 1803. Battan, L. J (1965) Física y siembra de nubes. Buenos Aires, EUDEBA, CAP. 4. Petterssen, pp. 63-73. Flechtner pp. 218-222.
(53) Medina, pp. 13 e 77
(54) Flechtner, pp. 223-229.
(55) “Extendeste ... os céus, firmes como um espelho fundido”, leva a pensar em firmamento,
expressão usada com freqüência. Em Gênesis 1: 7:, 8 podemos entender que as expressões: expansão – “céus”, se refere à envoltura gasosa que rodeia nosso planeta (atmosfera, ionosfera ...) que nos protege dos raios cósmicos, dos raios X, dos raios gama e dos raios ultravioletas, assim como do
bombardeio dos meteoros, etc. provenientes do espaço extraterrestre. Notemos que Isaías 40:22; 42:5 faz referência a que Deus “estende os céus como cortina”, essa cortina feita no segundo dia da criação, que como um escudo protege os seres vivos da Terra e lhes proporciona os elementos necessários para o intercâmbio gasoso desses seres. Porque se analisarmos a expressão “céu” na Bíblia, descobrimos que aparentemente existem três diferentes tipos de “céus”. O primeiro seria o
designado como “céus”, e que já explicamos, o segundo poderia ser o espaço extraterrestre ou
interestelar, exterior a nosso céu, designado como “céus dos céus” em algumas passagens, e o terceiro (II Cor. 12:2) seria “o lugar onde está o trono de Deus, Sua residência”, se assim pudermos dizer do nosso ponto de vista humano. Ampliamos o tema ao tratar a expressão “céus” de Gênesis 1.
(56) Loedel-De-Luca, p. 10 Em última instância se deve às partículas que o ar da “envoltura gasosa” contém. Flechtner p. 77.
(57) Cernan, E. e D. Davis. “El último hombre que pisó la luna”, Selecciones del Reader’s Digest. Tomo CXVII, 700, Março 1999, pp 133 e 134.
(58) De Robertis, E. D. P. e E. M. F. De Robertis. (1985), Biología Celular e Molecular. 10ª ed.
Buenos Aires, Librería “El Ateneo”, p. 436 e seguintes. Projeto GENOMA, criado pela “Human Genom Organisation” com o fim de decifrar os três bilhões de pares de bases do DNA humano, nos quais foram identificados 30.000 genes relacionados a determinados órgãos e 700 genes relacionados a doenças hereditárias específicas, segundo Barthell, A. G. W. “Hugo desenrolla el hilo de la vida”,
Deutschland, 3 junho 1996, p. 20.
(59) Philberth, B. (1962), Christliche Prophetie und Nuklearenergie. 2ª ed. Nürnberg. Glock und
Lutz, p. 105.
(60) Efron, A. (1971), El Mundo de la Energía Nuclear. Buenos Aires. Editorial Bell, p. 68. Uma
explosão nuclear tem um triplo efeito; 1 – Onda de choque; 2 – O calor e a matéria; 3 – As partículas radioativas. Medina, p. 236.
(61) Ecl. 1:6; Sal. 148:17; 148:8.
(62) Medina, p. 28 e cap. 5. Petterssen, p. 199 fala da lei do vento.
(63) Jó 38:22,29 e 30; Sal.147:17; 148:8.
(64) Battan, pp. 86, 88, 89.
(65) Medina, pp. 151-153.
(66) Flechtner, p. 245. Jó 38:29 faz referência ao desconhecido “ventre de gelo”. Sal. 147:16.
(67) Esses “núcleos de condensação” basicamente podem ser de três classes: pó, sais e produtos da combustão, Battan, cap. 2. Petterssen pp. 73-75, 89-93. Fletchner pp. 52-54, 207-209.
(68) Battan, capítulo 6. Flechtner, p. 223. Petterssen, p. 63, 76.
(69) Gên. 9:13, 14 e 16; Eze. 1:28; Apoc. 4:3 e 10:1. É um fenômeno estudado pela óptica. “As
cores formosas do arco-íris devem-se à dispersão da luz do sol nas gotas d’agua enquanto está
chovendo.” Maiztegui, A. P. (1958) Introducción a la Física. Tomo II. 5ª ed. Buenos Aires, Editorial
Kapelusz, p. 95. Fechtner, p. 244. (Ver também Folhinha Criacionista número 8, SCB, 2001).
(70) Jó 37:6; 24:19; Sal. 147:16; 148:8. A neve é referida em Prov. 25:13; Jer. 18:14; Sal. 51:7; Isa. 1:18.
(71) Battan, pp. 57, 71-75, 85. Flechtner, p. 223. Petterssen, pp. 63 e 76.
(72) Bíblia de Jerusalém, (1967), Bruxelas, Desclée de Brouwer.
(73) Em 1609 Galileu começou suas observações, que confirmaram o heliocentrismo, dando “o golpe mortal à teoria aristotélico/ ptolomaica”. Hawking, p 21.
(74) Loedel – De Luca, pp. 317-321. Hawking, p. 21.
(75) Loedel – De Luca, pp. 584, 323. Em 1687 Newton publicou “Philosophiae Naturalis Principia Mathematica, provavelmente a obra mais importante publicada nas ciências físicas em todos os tempos”. Hawking, p. 21.
(76) Laplace, por exemplo, abordou em sua “Mecánica Celeste” um interessante problema que abordava as desigualdades das órbitas de Júpiter e de Saturno. O movimento de Júpiter era mais lento e o de Saturno mais rápido do que se esperava. Em conseqüência de repetidas aproximações um dos planetas empurra periodicamente o outro para frente, e ao mesmo tempo é empurrado para trás de forma alternada num período de 929 anos, segundo demonstrou Laplace. Papp, D. e J. Babini. (1955), Panorama general de historia de la ciencia. Tomo VIII. El siglo del Iluminismo. Buenos Aires, Espasa
Calpe, Arg., pp. 44 e 45.
(77) Hawking, pp. 74, 42, 43, 55.
(78) Idem, pp. 164, 167.

Nota da Redação. Este extrato é parte de um artigo mais abrangente do autor, intitulado: “Confiabilidade da Bíblia em Temas não Teológicos”, utilizado especialmente para palestras a estudantes

Fonte: Ciência das Origens 4