segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

A. J. (Monty) White: Com relação à confusão

Finalmente, voltando à pergunta inicial feita ao conferencista de Termodinâmica: “Não é a Teoria da Evolução uma contradição ao Segundo Princípio?” A resposta é “Sim”! De acordo com a Teoria da Evolução, com o decorrer do tempo o caos e a confusão evoluirão no sentido da ordem, enquanto que, de acordo com o Segundo Princípio da Termodinâmica, com o decorrer do tempo a ordem dará origem ao caos e à confusão.

Parece que o Segundo Princípio aplica-se aos evolucionistas, pois, no decorrer do tempo, tendo eles deixado de lado o raciocínio ordenado apresentado pela Bíblia, o seu próprio raciocínio tornou-se caótico e confuso.

A Bíblia nos diz que “Deus não é o autor da confusão” (18) e que Ele criou plantas e animais com o seu próprio DNA particular, de tal modo que se reproduzissem somente “conforme a sua espécie” (19).

Referências:
(18) I Coríntios 14:33 (Tradução da Versão Autorizada Americana).

(19) Gênesis 1:11-12, 20-21, e 24-25.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Livro: "Ética Cristã" de Norman L. Geisler

- Opções e questões contemporâneas - 
Editora Vida Nova
Lançada pela primeira vez no Brasil em 1984, Ética Cristã chega agora em sua 2.ª edição revisada e ampliada, abordando questões recentes. No mundo de hoje, os cristãos são diariamente bombardeados por uma série de dilemas éticos que nos indicam que os caminhos apontados pela sociedade atual ou pela cultura vigente não raro são bem diferentes daqueles apontados pela ética cristã. Fica, então, a dúvida: Como devemos lidar com questões como aborto, eutanásia, biomedicina, pena de morte, guerra, desobediência civil, homossexualismo, casamento, divórcio, controle de natalidade, ecologia, direito dos animais, drogas, pornografia, entre tantos outras?
O propósito deste livro é justamente fornecer aos cristãos os fundamentos bíblicos para responder a essas questões tão frequentes e complexas. Geisler analisa profundamente cada questão tanto do ponto de vista filosófico como bíblico e nos mostra, de forma clara e precisa, como vencer cada um desses dilemas com argumentos sólidos e bastante coerentes.
Veja a seguir alguns dos novos tópicos acrescentados: Infanticídio, questões biomédicas, desobediência civil, homossexualidade, casamento e divórcio; Drogas, apostas e jogos de azar, pornografia, controle de natalidade e etc.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Livro: "Pós-Modernismo" de Stanley J. Grenz


- Um guia para entender a filosofia de nosso tempo - 

Editora Vida Nova

Compreenda os contextos ético, cultural e intelectual de nossos dias ao ler esta obra.
Por que a mensagem do pastor, tão bem preparada, nem sempre consegue chamar a atenção de sua comunidade?



Por que os cristãos mais jovens, quando entram nas universidades, perdem o interesse pelas atividades da igreja?



Essas e muitas outras questões preocupam os pastores e líderes que querem dar relevância à proclamação do evangelho em tempos pós-modernos. Muitos deles não conseguem compreender o pós-modernismo e por isso têm dificuldade em criar estratégias para falar de Deus nos dias de hoje. Foi para ajudar esses pastores e líderes que Stanley J. Grenz escreveu este livro. Nele você encontrará um estudo que o ajudará a entender as razões que levaram ao esgotamento das promessas e filosofias da modernidade e ao surgimento dessa nova maneira de ver o mundo.

domingo, 23 de dezembro de 2012

Livro: "Merece confiança o Novo Testamento?" de F.F.Bruce

Editora Vida Nova

Merece confiança o Novo Testamento? é sem dúvida uma das mais importantes obras de apologética dos textos neotestamentários. Sua importância se deve ao fato de demonstrar a confiabilidade e a autenticidade dos documentos do Novo Testamento, a partir de provas e evidências textuais e arqueológicas, tanto dos evangelhos como das epístolas paulinas, dos escritos de Lucas e assim por diante.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Livro: "A Igreja do Final do Século XX" de Francis A. Schaeffer

Editora Ultimato

Quais desafios da Igreja nesse final de século? Para Francis schaeffer, esta geração enfrenta um desafio peculiar e exclusivo: o de estar mergulhada em uma cultura pós-cristã, onde valores do reino de Deus não fazem sentido - a não ser pelo fato de as pessoas ainda não terem sido capazes de assumir integralmente sua afirmação de que Deus está morto.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Livro: "É possível comunicar-se com os mortos?" de Hernandes Dias Lopes

O livro É possível comunica-se com os mortos, Hernandes Dias Lopes expõe reflexões Acerca da morte baseando-se na história do rei Saul, que em um momento crucial de sua vida procurou orientação de uma necromante, o autor extrai lições importantes para quem deseja conhecer o pensamento de Deus a respeito desse assunto.
Livro É possível comunica-se com os mortos? Sobre esta delicada questão que o pastor Hernandes Dias Lopes nos apresenta reflexões esclarecedoras acerca deste assunto. Mas existe mesmo essa possibilidade? As pessoas que alegam ser ¿canais¿ para a comunicação com quem já morreu agem com sinceridade? Ou tudo não passa de uma armação para enganar os incautos?
Os mortos podem, de alguma forma, trazer algum tipo de orientação, consolo e esperança aos vivos? Ou tudo não passa da atuação de espíritos enganadores? Existe algum perigo para quem se envolve com a necromancia?
Hernandes Dias Lopes no Livro É possível comunicar-se com os mortos , apresenta  ao leitor respostas esclarecedoras. Baseando-se na história do rei Saul, que em um momento crucial de sua vida procurou orientação de uma necromante, o autor extrai lições importantes para quem deseja conhecer o pensamento de Deus sobre este tema.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Livro: "Ciência, Intolerância e Fé" de Phillip E. Johnson

A cunha da verdade: rompendo os fundamentos do naturalismo -

Editora Ultimato

 ciência é a autoridade suprema na sociedade. Se há uma disputa, a ciência é o juiz. Se uma lei está para ser aprovada, a ciência tem de comprová-la. Quando a ciência é ignorada, brados de protesto ecoam na mídia, nas universidades e nas esquinas. A autoridade atribuída à ciência é tão grande que muitos são tentados a usá-la para validar afirmações que vão além das evidências disponíveis.

Phillip Johnson quer trazer de volta ao debate público questões que muitas vezes têm sido consideradas resolvidas. Ao analisar os fundamentos do naturalismo, o autor ressalta os últimos debates sobre ciência e evolução. No final, ele conclui profeticamente que as muralhas do naturalismo ruirão e que o evangelho deve desempenhar um papel vital na construção de um novo tipo de pensamento — não apenas em relação à ciência e à religião, mas no que diz respeito a tudo que oferece esperança e sentido à vida.

Ciência, Intolerância e Fé é um livro para todos que entendem a importância desse questionamento e que gostariam de ser participantes bem informados do debate atual. 
“Em toda a ampla literatura sobre darwinismo, evolução, criação e teísmo, dificilmente podemos encontrar uma análise tão calma, compreensiva e convincente quanto a de Phillip Johnson.” (Richard John Neuhaus, editor de First Things)

sábado, 15 de dezembro de 2012

Livro: "Introdução à Filosofia" de Norman L. Geisler & Paul Feinberg

- Uma perspectiva cristã - 

Editora Vida Nova

Fornece não somente os fundamentos da filosofia mas também a base intelectual para defesa da fé cristã e de convicções éticas. Analisa as teorias do conhecimento da realidade da realidade ulterior e do que é bom ou certo.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Livro: "Filosofia para Iniciantes" de R.C. Sproul

Editora Vida Nova

Começando com antigos pensadores gregos como Platão e Aristóteles, passando por filósofos cristãos como Agostinho e Tomás de Aquino, e chegando aos formadores do pensamento moderno como Kant e Nietzsche, R. C. Sproul apresenta-nos o gigantesco impacto que as ideias desses e de outros pensadores exerceram e exercem sobre os fatos, as artes, a cultura e a teologia no mundo em que vivemos, além das consequências que elas têm sobre a nossa vida no dia a dia.

Ao fazer uma exposição de conceitos básicos da filosofia, o propósito deste livro é mostrar que quanto maior for o conhecimento que o cristão tem das ideias que deram forma à nossa cultura, maior será sua capacidade de entender e influenciar o contexto no qual está inserido.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Livro: "E a Bíblia tinha razão..." de Werner Keller

- Como a ciência comprova os acontecimentos descritos na Bíblia - 

Editora Melhoramentos

Um best-seller que permanece até hoje, com mais de 10 milhões de livros vendidos em todo o mundo. O autor ao pesquisar fatos históricos e achados arqueológicos, provou que os acontecimentos narrados na Bíblia realmente ocorreram. E, ao dar vida a fatos do passado, criou uma reportagem histórica que fascina o leitor. Traduzida em mais de mil línguas e dialetos, a Bíblia é, sem dúvida, o livro que mais influenciou a cultura ocidental. Suas palavras sagradas têm guiado o homem nos caminhos da fé, e sua narrativa estabelece um elo histórico entre o leitor e mais de 4 mil anos de civilização.

Este livro é uma incrível aventura em busca dos fundamentos históricos do Livro dos Livros.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Livro: "Manifesto Cristão" de Francis A. Schaeffer


O Manifesto Cristão, de Schaeffer, foi publicado em 1981. O nome do livro pretende posicionar suas teses como uma resposta cristã ao Manifesto Comunista, de 1848 e aos documentos do Manifesto Humanista, de 1933 e 1973. O diagnóstico de Schaeffer dizia que o declínio da civilização ocidental se deve à sociedade ter se tornado cada vez mais pluralista, resultando em um desvio "para longe de uma cosmovisão que era pelo menos vagamente cristã na memória das pessoas…em direção a algo totalmente diferente". Schaeffer argumenta que há um combate filosófico entre o povo de Deus e os humanistas seculares.Em um sermão também intitulado “Manifesto Cristão”, Schaeffer define o humanismo secular como a visão de mundo onde “o homem é a medida de todas as coisas”, e no livro ele afirma que as críticas da Direita cristã erram o alvo ao confundir a “religião humanista” como humanitarismo, humanidades ou amor pelos humanos. Ele descreve o conflito com o humanismo secular como uma batalha em que "estas duas religiões, Cristianismo e Humanismo, se colocam frente a frente como totalidades". Ele escreve que o declínio do compromisso com a verdade objetiva que ele percebe nas várias instituições da sociedade é "não por causa de uma conspiração, mas porque a igreja tem esquecido sua responsabilidade de ser sal da cultura". Schaeffer explica:"Um cristão verdadeiro na Alemanha de Hitler e nos países ocupados deveria ter desafiado o estado falso e fraudulento e escondido seus vizinhos judeus das tropas da SS germânica. O governo abdicou de sua autoridade e deixou de ter o direito de fazer qualquer exigência."Da mesma forma, ele sugere táticas similares para combater o aborto. Mas Schaeffer afirma que não está falando de uma teocracia:
"As autoridades devem saber que falamos sério sobre barrar o aborto…Primeiro, devemos deixar claro que não estamos falando de nenhum tipo de teocracia. Permita-me dizer isso com grande ênfase. Witherspoon, Jefferson, os fundadores da americanos, não pensavam em uma teocracia. Isso é deixado claro pela Primeira Emenda, e nós devemos continuamente enfatizar o fato de que não estamos falando de algum tipo, ou qualquer tipo de teocracia."

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Absurdo: Estrelas caindo do céu!


Proposta enviada por um cético:

Segundo os atuais estudos mais avançados, já se é sabido que até mesmo as menores estrelas são cerca de dezenas de milhares de vezes maior que a terra. Com tudo os escritores do NT (inspirados ou não por deus), achavam que as estrelas eram pequeninas (talvez do tamanho de figos verdes, por ex) e que poderiam cair na terra, Vejam:

"[...] E as
 estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira lança de si os seus figos verdes, abalada por um vento forte[...]"
(Apocalipse 6:13)

Entendo que o trecho postado faz parte de uma profecia (ou visão/revelação divina de um acontecimento futuro), ou seja, temos aqui um profeta querendo impressionar seus leitores com efeitos cósmicos de ampla magnitude que deveriam de fato acontecer, reparem que apesar de ser um texto profético, não há "linguagem figurada" aqui, demonstrando que o NT e seus escritores acreditavam cegamente de que havia possibilidades das estrelas caírem um dia dos céus, o que é um tremendo absurdo não acham?
Mas para evitar que alguns aqui venham querer enrolar com a desculpa de que se trata de um texto profético/apocalíptico (Apocalipse), irei tbm postar outras passagens onde os mesmos escritores do NT demonstram acreditar que tal absurdo (estrela caindo) poderiam de fato ocorrer, vejam:

"(...) E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as
 estrelas cairão do céu(...)"
[MATEUS 24:29 e MARCOS 13:25]
----------------------------------------------------------------------------.

Resposta de Lucas Banzoli:


Meu caro amigo,,,,,, "ESTRELAS" no Apocalipse representam ANJOS CAÍDOS,,,,,, basta ler o próprio livro:

"[...] E as estrelas do céu
 caíram sobre a terra, como quando a figueira lança de si os seus figos verdes, abalada por um vento forte[...]"

ESTRELAS CAINDO = ANJOS CAÍDOS,,,,,,,

João não escreveu um livro literário e sim um livro simbólico. Todas as ações místicas tem um exato sentido literal para ser identificado.
 

Veja como Apocalipse claramente NÃO É um livro literal:

(1) Cristo no Céu em forma de cordeiro ensanguentado (cf. Ap.5:6)
(2) Criaturas dentro do mar falando e louvando a Deus (cf. Ap.5:13)
(3) Várias estrelas caindo sobre a terra (cf. Ap.6:13). Sabe-se que o tamanho das estrelas é maior do que o do nosso planeta e se caíssem estrelas sobre a Terra esta acabaria no mesmo instante e o Apocalipse teria fim.
(4) Cavalos com cabeças de leão (cf. Ap.9:17)
(5) Cavalos que soltavam de sua boca fogo e enxofre (cf. Ap.9:17)
(6) Gafanhotos com coroa de ouro e rosto humano, cabelos como de mulher e dentes como de leão (cf. Ap.9:7,8)
(7) Um dragão perseguindo uma mulher grávida no deserto (cf. Ap.12:13)
(8) A mulher grávida do deserto tem asas e voa (cf. Ap.12:14)
(9) A terra abre a boca engolindo um rio que um dragão soltou com a sua boca (cf. Ap.12:15,16)
(10) Os trovões falam (cf. Ap.10:3)
(11) O altar fala (cf. Ap.16:7)
(12) Jesus tem sete chifres e sete olhos (cf. Ap.5:6)
(13) Duas oliveiras e dois candelabros soltam fogo devorador de suas bocas (cf. Ap.11:4,5)

Outras passagens apocalípticas deixam muito bem claro q estrelas são anjos caídos,,,,,

Apocalipse 9
1 O quinto anjo tocou a sua trombeta, e vi uma
 estrela que havia caído do céu sobre a terra. À estrela foi dada a chave do poço do Abismo.
2 Quando
 ela abriu o Abismo, subiu dele fumaça como a de uma gigantesca fornalha. O sol e o céu escureceram com a fumaça que saía do abismo.

O apóstolo João ñ era idiota e ele sabia muito bem q estrela literalmente ñ abre nada e ñ tem chave nenhuma na mão,,,,,, então o q ele escreve é clarissimamente mais uma simbologia apocalíptica para ser identificada,,,,,,

Algumas simbologias apocalípticas são difíceis de serem identificadas com exatidão, mas outras (como a da "estrela") podem ser claramente identificadas.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Livro: "Criação ou Evolução" de John MacArthur

- A Luta pela Verdade sobre o Princípio do Universo - 

Editora Cultura Cristã

Um desafio a todos os cristãos que fazem ressalvas ao relato bíblico da criação e cortejam os falsos ensinamentos dos naturalistas, que negam o Criador, ensinando que o universo é obra do acaso, e não de Deus.

Você entende aquilo em que acredita a respeito da criação? Você poderia defender seus pontos de vista diante daqueles que negam o relato de Gênesis? Neste livro, você encontrará respostas para questões difíceis. Aprenda o que a Bíblia diz sobre como nosso universo começou.

"Graças à teoria da evolução", afirma o expositor bíblico John MacArthur, "o Naturalismo é atualmente a religião dominante da sociedade moderna. Menos de um século e meio atrás, Charles Darwin popularizou o credo dessa religião secular. O Naturalismo agora substituiu o Cristianismo como a principal religião do mundo ocidental, e a evolução se tornou seu dogma principal."

sábado, 8 de dezembro de 2012

Livro: "Fé, Razão e História da Terra" de Leonard Brand

- Um Paradigna das Origens da Terra e da Vida por Planejamento Inteligente - 

Editora UNASPRESS

Este livro é uma das obras mais importantes para o Criacionismo atual. O autor, que é professor de Biologia e Paleontologia na Universidade de Loma Linda tem, além da experiência no magistério, vivência em pesquisas de campo tanto na área de Paleontologia como na de Zoologia, o que enriquece muito a sua abordagem do tema. Evitando os recursos fáceis do ataque e da ironia, o autor trabalha de forma clara os temas que se propõe a analisar.

A obra pode ser dividida em três grandes áreas: relação Bíblia e Ciência, Biologia e Geologia. Na primeira parte, ele procura demonstrar quais são as limitações da pesquisa científica e de que modo a Bíblia, como um livro revelado por Deus, pode auxiliar na busca de explicações sobre as origens. Ele adverte, contudo, que o uso da Bíblia deve ser feito com muita cautela, porque poucos autores adventistas exploram a complexidade da relação entre a Bíblia e a Ciência com clareza e coerência.

Na segunda parte, ele discute como a evolução naturalista tem tentado explicar a origem da vida, e como estes diversos empreendimentos tem resultado em fracasso. Discute também a questão do limite do processo de transformação do seres vivos e como as mudanças nas espécies podem e precisam ser aceitas pelo criacionismo. Na terceira parte, analisa questões geológicas e explica como a topografia atual da Terra e as camadas estratigráficas poderiam ter sido formadas pelo Dilúvio.

Nessa parte, o autor apresenta algumas dificuldades dos modelos elaborados pelos criacionistas e aponta para a necessidade de mais pesquisas e mais tempo, reforçando sempre sua crença na Criação Divina. O autor apresenta, por fim, no debate Criação X Evolução, os argumentos favoráveis a cada debatedor, e os pontos indiferentes a uma abordagem criacionista ou evolucionista, sendo essa apresentação feita de uma forma bastante ponderada.

O livro é de leitura fundamental para professores cristãos das áreas de Ciência e de Religião, que desejam abordar o tema e obter respostas para satisfazer as curiosidades e inquietações da mente de crianças e adolescentes, que são bombardeados sistematicamente pela questão das origens na mídia.

A grande contribuição do autor é responder as questões de forma honesta, reconhecendo os pontos fortes e fracos da Teoria Criacionista das origens. O livro contribui também para o crescimento intelectual e espiritual dos jovens cristãos universitários e de outras pessoas interessadas no tema das origens.

Prof. Dr. Haller Elinar Stach Schünemann
Professor do UNASP - Campus SP
Membro do Núcleo de Estudo das Origens


ÍNDICE DO LIVRO

Fé, Ciência e História da Terra

1. O Método Científico
2. As Limitações da Ciência
3. Aspectos da História da Ciência
4. O Processo das Revoluções Científicas
5. O Paradigma do Naturalismo e uma Alternativa
6. Fé e Ciência: Qual é a Relação entre Elas?
7. A Origem da Vida
8. Microevolução e Especiação
9. Os Argumentos a Favor da Megaevolução
10. Os Argumentos a Favor da Intervenção Informada
11. Sociobiologia: a Resposta da Teoria da Evolução para o Comportamento Altruísta
12. Uma Teoria Intervencionista de Seleção Natural e Mudança Biológica Limitada
13. O Registro Geológico
14. O Tempo Geológico
15. Uma Teoria Catastrófica da História da Terra: Princípios Gerais
16. Uma Teoria Catastrófica da História da Terra: Interpretando o Registro Histórico

17. Fé, Razão e História

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Livro: "Criação - Criacionismo Bíblico" de Alexander vom Stein

CRIAÇÃO é o primeiro livro texto em língua alemã a apresentar detalhadamente o modelo criacionista.

CRIAÇÃO é apropriado para jovens a partir de 14 anos. Partindo do estado atual da ciência, explica até mesmo fatos complicados de modo que possam ser facilmente compreendidos. Além de conter o livro em formato pdf, o DVD anexo fornece documentação mais extensa e profunda.

CRIAÇÃO deixa claro que as perguntas sobre "de onde" e "para onde" não devem ser respondidas somente pela observação e dedução, mas em última análise pela fé. Neste livro fica claro que muitos fatos hoje descobertos podem ser melhor explicados por meio do modelo criacionista.

CRIAÇÃO torna-se assim uma ferramente valiosa para o ensino do Criacionismo Bíblico sistematizado nas escolas.


quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Livro: "Evolução: Um Livro Texto Crítico" de Reinhard Junker & Siegfried Scherer

Este é um livro que vem preencher uma grande lacuna existente na área de livros didáticos que cobrem disciplinas científicas tais como Biologia, Paleontologia, Evolução e Epistemologia. É um livro-texto que pode ser usado nos cursos de nível médio e nas primeiras séries de cursos universitários, escrito por dois ilustres professores doutores, conhecidos internacionalmente pelas suas publicações especializadas na área da Biologia. A versão atual deste livro, lançada em 1998 é um aprimoramento de uma versão anterior que havia sido lançada em 1986, e que foi reeditada em 1988 e 1992. Além dos dois autores, colaboraram nesta nova versão mais nove especialistas, dos quais oito doutores, reconhecidos em suas respectivas áreas - Biologia, Botânica, Microbiologia, Embriologia, Química, Paleontologia e Antropologia.

O livro divide-se em sete partes cujos títulos e conteúdos são apresentados resumidamente a seguir:

• Introdução histórica, contendo fundamentos da Ciência e da epistemologia, e história do pensamento evolucionista;
• Conceitos fundamentais de taxonomia e da sistemática, incluindo mecanismos evolutivos;
• Pesquisa das causas de evolução e abrangência dos fatores evolutivos, com análise da macroevolução.
• Pesquisa da evolução molecular, com os mecanismos da microevolução, e a evolução química;
• Biologia comparada e pesquisa da evolução histórica, destacando a analogia e a homologia, a embriologia, a ontogênese e a biogeografia;
• Pesquisa da evolução histórica, com o significado do registro fóssil, fundamentos da paleontologia, espécies fósseis, sua extinção, elos perdidos, e o surgimento do ser humano;
• Biologia e “visão de mundo”, informação biológica e significado da vida em fase da posição criacionista.

Trata-se de um livro bastante abrangente, atualizado pelos seus autores e colaboradores, e com primoroso acabamento gráfico.

Sua tradução em Português foi feita por uma equipe de especialistas em língua alemã, com revisão técnica da Sociedade Criacionista Brasileira.


É uma obra didática e ao mesmo tempo uma obra de referência, indispensável para as bibliotecas escolares, professores e alunos.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Livro: "Cristianismo Puro e Simples" de C.S.Lewis

Editora Martins Fontes

Durante a Segunda Guerra Mundial, a BBC convidou C. S. Lewis para fazer uma série de palestras pelo rádio. Foram programas que, ao final, deram um sentido novo à vida de milhares de adultos de todas as classes e profissões. O livro Cristianismo puro e simples, que colige essas preleções legendárias, veio a ser considerado a mais popular e acessível de todas as obras de Lewis, lembrando-nos daquilo que é mais importante na vida e apontando-nos o caminho da alegria e do contentamento. Esta edição de qüinquagésimo aniversário nos recorda de uma ocasião em que C. S. Lewis foi capaz de dar conforto e consolação a milhões de pessoas num tempo de guerra e de incertezas; mas suas palavras são tão pertinentes agora quanto em qualquer outra época.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Livro: "Como derrotar o Evolucionismo com mentes abertas" de Phillip E. Johnson

Editora Cultura Cristã

Apesar do título belicoso, Como Derrotar o Evolucionismo com Mentes Abertas, de Phillip Johnson (Editora Cultura Cristã), é um bom livro para quem quer se situar em meio à controvérsia entre darwinismo e designinteligente. Johnson, que é formado pela Harvard e pela Universidade de Chicago, leciona direito há mais de 30 anos na Universidade da Califórnia, em Berkeley. Exatamente por isso, ele foi capaz de investigar o âmago dos argumentos darwinistas, atuando como uma espécie de “promotor de justiça” da teoria. E justiça seja feita: apesar de não ser cientista, Johnson demonstra amplo conhecimento dos temas em questão e analisa tudo de forma crítica e lúcida.

Logo na introdução do livro, o advogado justifica por que os jovens acabam sendo o público alvo da obra: “[Os] jovens precisam tirar vantagem das maravilhosas oportunidades educacionais que nossa sociedade oferece, mas também precisam se proteger da doutrinação no naturalismo que geralmente acompanha a educação. Livros didáticos e outros materiais educacionais tomam o naturalismo evolucionário como certo e, assim, admitem a resposta errada para a mais importante questão com que nos deparamos: Existe um Deus que nos criou e que Se importa com o que fazemos? Os jovens precisam estar preparados para a doutrinação e para isso precisam saber algumas coisas que as escolas não estão autorizadas a ensiná-los. Esse é o principal objetivo deste livro.”

Johnson então passa a utilizar seu “detector de conversa fiada” para analisar a teoria da evolução e chega a propor uma “verdadeira educação em evolução”, com uma abordagem mais autocrítica e menos triunfalista. Ou seja, ele ajuda o leitor a desenvolver uma visão cética com respeito às pretensões darwinistas.

Michelson Borges

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Livro: "Em Busca das Origens: Evolução ou Criação?" de Jean Flori e Henri Rasolofomasoandro

Dentro do Programa Editorial da Sociedade Criacionista Brasileira em comemoração ao seu trigésimo aniversário, mereceu destaque especial a publicação do livro: "Em Busca das Origens - Evolução ou Criação?", traduzido do Espanhol pelos nossos Editores, com a colaboração na revisão técnica dos membros fundadores, Professores Doutores Márcia Oliveira de Paula (Doutora em Biologia), Nahor Neves de Souza Júnior (Doutor em Geologia) e Urias Echterhoff Takatohi (Doutor em Física). Colaborou também na revisão técnica o Prof. Marcos Natal (Geólogo), também membro da Sociedade.

Foi lançado em janeiro de 2002, a nossa edição em Português.

O livro foi editado na Espanha e é fartamente ilustrado, em papel couchê, uma obra prima a ser adquirida pelos leitores.

Dentro do Programa Editorial da Sociedade Criacionista Brasileira em comemoração ao seu trigésimo aniversário em 2002, mereceu destaque especial a impressão, na Espanha, do livro “Em Busca das Origens – Evolução ou Criação?”, traduzido da 5ª edição espanhola publicada no ano 2000 pela Editorial Safeliz. A tradução para o Português foi feita por Ruy Carlos de Camargo Vieira e Rui Corrêa Vieira, e a revisão técnica pelos Professores Doutores Márcia Oliveira de Paula (Biologia), Nahor Neves de Souza Júnior (Geologia), Marcos Natal de Souza Costa (Geologia) e Urias Echterhoff Takatohi (Física). Trata-se de um livro extremamente didático, cobrindo aspectos ligados à Geologia, Paleontologia e Geologia, tratados de um ponto de vista crítico ao modelo evolucionista, e ao mesmo tempo propondo modelos alternativos criacionistas que levam em consideração a catástrofe do Dilúvio. Adicionalmente, são também considerados aspectos relacionados com os métodos de datação diversos, incluindo a datação radiométrica.

O livro presta-se muito bem, em particular, para ser adotado como texto para estudos em grupo. A SCB elaborou um roteiro de estudos que pode ser utilizado para a sistematização do estudo em grupo, que poderá ser solicitado à parte.

Para melhor caracterizar o conteúdo deste livro, segue o índice de seus capítulos:

Apresentação

Prólogo

1. Evolução e Transformismo

PRIMEIRA PARTE: GEOLOGIA EVOLUCIONISTA

2. O Atualismo
3. A Terra: natureza e estrutura
4. As rochas da Terra
5. O carvão e o petróleo
6. Continentes à deriva
7. As montanhas e a erosão
8. A estratigrafia e seus problemas
Geologia evolucionista: conclusões

SEGUNDA PARTE: PALEONTOLOGIA EVOLUCIONISTA

9. Os fósseis comprovam a evolução?
10. Do simples ao complexo
11. Séries evolutivas e elos intermediários
12. Os enigmas da paleontologia
Paleontologia evolucionista: conclusões

TERCEIRA PARTE: BIOLOGIA EVOLUCIONISTA

13. O Lamarquismo
14. O Darwinismo
15. O Mutacionismo
16. A Origem da Vida
17. Argumentos biológicos: citologia, bioquímica e anatomia comparada
18. Argumentos biológicos: provas embriológicas e convergências
19. Sistemática: Noção de espécie
20. A Teoria Sintética
Biologia evolucionista: conclusões
O Modelo evolucionista: conclusões gerais

QUARTA PARTE: MODELO ALTERNATIVO

21. Bíblia e evolução
22. O relato do dilúvio
23. A obra do Criador
24. Dilúvio e geologia
25. Paleontologia e catastrofismo
26. O mundo depois do dilúvio
27. Os homens pré-históricos
Modelo alternativo: conclusões

QUINTA PARTE: MÉTODOS DE DATAÇÃO

28. As datações absolutas
29. O dilúvio e as datações
30. Métodos de datação não radioativos
Métodos de datação: conclusões
Conclusões finais

Bibliografia
Procedência do material e das ilustrações

Índice alfabético

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Livro: "Genoma: Passado, Presente e Futuro" de Roberto Cesar de Azevedo

Editora UNASPRESS

Um livro com dados importantes, informações interessantes e com levantamento de problemas desafiadores. Instiga a discussão de temas controvertidos sobre a origem da vida. Retoma indagações antigas, com nova roupagem, sobre os seres vivos serem produto do acaso x tempo, ou ato Criador de Deus. Usando um esquema, às vezes provocador, o autor critica a inconsistência do pensamento evolutivo, à luz de conhecimentos atuais sobre o genoma. Vale a pena ler, refletir e repensar seus posicionamentos sobre a questão que incomoda a todos: "De onde viemos e para onde vamos" - Nair Elias dos Santos Ebling

Para melhor visualização de seu conteúdo, segue o respectivo Índice:

Capítulo 1 - O projeto genoma humano
1.1 O projeto genoma humano
1.2 O nosso manual de Instruções
1.3 Genomas de outros seres vivos

Capítulo 2 - Elaboração do projeto genoma
2.1 O projeto genoma primordial
2.2 O projeto genoma "natural" degenerativo
2.3 O projeto genoma humano original
2.4 O projeto genoma original dos demais seres vivos
2.5 Perspectivas futuras
2.6 O projeto genoma restaurado

Capítulo 3 - O genoma do ancestral
3.1 A árvore filogenética comum
3.2 Os incontáveis elos
3.3 Os embriões não são semelhantes entre si
3.4 A ignorância sobre os órgãos vestigiais
3.5 A anatomia comparada e a evolução
3.6 A semelhança do DNA

Capítulo 4 - Fósseis e genoma
4.1 Os fósseis
4.2 Geologia uniformista em crise
4.3 O efeito dominó: Evolucionismo biológico entra em crise
4.4 Geocronologia comparada
4.5 Medindo o tempo passado
4.6 Genoma fóssil

Capítulo 5 - Reconstruindo a história do genoma
5.1 Os primeiros fósseis - Cianobactérias ou algas azuis
5.2 Os antigos metazoários - Trilobitas
5.3 Os primeiros precursores do homem?
5.4 "Fósseis vivos"
5.5 verdadeiras jóias
5.6 Reduzindo a inflação das espécies

Capítulo 6 - O genoma dos gigantes
6.1 Vegetais gigantes - licopódios e pteridófitas
6.2 Aranhas, escorpiões e libélulas
6.3 Tubarões
6.4 Jacarés, Crocodilos e dinossauros
6.5 Pingüins e grandes aves
6.6 Tatus e preguiças
6.7 Elefantes
6.8 Seres humanos gigantes

Capítulo 7 - O elo gigante
7.1 Fósseis humanos
7.2 O elo gigante
7.3 A ponte de ligação entre dois mundos


Conclusão

domingo, 25 de novembro de 2012

Livro: "E agora como viveremos?" de Charles Colson & Nancy Pearcey

Editora CPAD

Uma abordagem sobre a Cosmovisão, que responde às seguintes questões: “de onde viemos e quem somos?”, “o que aconteceu de errado com o mundo?”, o que podemos fazer para consertar isso?”

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Livro: "Filosofia e Fé Cristã" de Colin Brown

Editora Vida Nova

Neste livro, Colin Brown consegue, com sucesso, alcançar algo praticamente impossível: discutir o pensamento de cerca de 450 filósofos, trazendo-nos um rico panorama dos últimos mil anos da história do pensamento humano.

Porém, o autor não apenas nos apresenta ao pensamento de vários intelectuais, mas também mostra, com admirável precisão, como tudo isso afeta a fé cristã.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Livro: "Cartas entre Freud & Pfister" (1909-1939)

- Um diálogo entre a Psicanálise e a fé cristã - 

Editora Ultimato

É fascinante acompanhar o diálogo e a construção da amizade entre Freud e Pfister. Pouco a pouco trocam idéias, textos e, acima de tudo, compartilham vida. Visitam-se, presenteiam-se, fazem confidências e influenciam-se mutuamente. 

Ao mesmo tempo, parecem cão e gato. De um lado, um cura de almas mundano — Freud era judeu e ateu. De outro, um “cura de almas espiritual” — Pfister era pastor protestante —, que se refere a Freud como “o amado adversário”. O que havia de comum entre eles era, acima de tudo, a busca pela compreensão do homem. Essa busca resultou num fecundo diálogo sobre temas como o complexo relacionamento entre psicanálise e religião, a psicanálise como técnica a serviço da cura analítica de almas, os primórdios da análise laica, a análise de crianças e adolescentes e a análise de pessoas “não doentes no sentido clínico”.

domingo, 18 de novembro de 2012

Livro: "Freud versus Deus" de Dan Blazer

- Como a Psiquiatria perdeu a alma e o Cristianismo perdeu a cabeça - 

No início do século 20, os teólogos cristãos e psiquiatras raramente falavam um com o outro sobre o sofrimento emocional. 

Quando Freud trouxe a psiquiatria para fora dos asilos e a colocou na vida diária, os cristãos não puderam mais ignorá-la. O que se seguiu foram décadas de freqüentes hostilidades e raros debates construtivos entre teólogos e psiquiatras.

Em grande parte, o debate cessou. No entanto, para o psiquiatra (e cristão) Dan Blazer, ele terminou muito cedo e, de um modo geral, insatisfatório. Por sua parte, os cristãos têm estigmatizado e adotado alguns dos piores aspectos da psiquiatria e os psiquiatras deixaram-se mutilar da “alma” — questões profundas sobre significado e comunidade que animam toda vida genuinamente humana.

Freud versus Deus tem como objetivo reviver o debate, abalar a “comodidade” entre o cristianismo e a psiquiatria e, ao mesmo tempo, restaurar a “alma” à psiquiatria e a “cabeça” ao cristianismo. Uma leitura fundamental para todo psiquiatra, teólogo, pastor, clérigo, conselheiro e leigo interessado.

A aceitação sem questionamentos das práticas psicoterapêuticas diagnosticadas tanto por conselheiros religiosos quanto por psiquiatras e as causas históricas que levaram e ainda levam as pessoas a buscar esses profissionais com tanta freqüência em nossos dias, são os desafios propostos em Freud versus Deus

sábado, 17 de novembro de 2012

Livro: "A Origem Superior das Espécies" de Roberto Cesar de Azevedo

Editora Universitária Adventista

Este é um livro bastante interessante, de leitura acessível ao leitor médio, que se manifesta de forma bastante desafiadora do Evolucionismo, sempre com certa ironia ao comentar a posição defendida por Darwin em seu “A Origem das Espécies”.

Contrapondo-se a uma evolução partindo do inferior e caminhando em direção ao superior, o autor defende a tese de uma involução partindo do superior. Daí o título de um de seus capítulos - “A Origem Superior das Espécies”- que se inicia confrontando essas duas posições. Nesse mesmo capítulo é discutida a concepção evolucionista da “arvore genealógica da vida”, que se mostra cada vez mais como uma visão equivocada, pois os fósseis apontam na realidade para uma “floresta de espécies-tronco”.

Ao examinar a origem diluviana dos fósseis, o autor analisa a influência exercida pelos pensamentos uniformistas de Charles Lyell sobre Darwin, e destaca a fragilidade do método adotado por Lyell, que primeiro elaborou sua teoria para em seguida sair à procura de fatos que pudessem apoiá-la, e não sendo eles encontrados como evidências favoráveis à teoria, acabaram sendo rejeitados (isso mesmo: em vez de se rejeitar a teoria, rejeitaram-se os fatos!).

Passando ao tema central da “Origem Superior do Homem”, o autor compara as duas proposições: a da “origem superior” do homem, com a evolução humana a partir de ancestrais simiescos. De passagem, são considerados interessantes casos, como o da fraude de Ernst Haeckel efetuada com desenhos tendenciosos de embriões de várias espécies, e o verdadeiro significado do Homem de Neandertal.

Ao considerar os Gigantes e o Novo Mundo, o autor destaca as características físicas e mentais do homem antediluviano - os gigantes. Fala também do significado de alguns ideogramas chineses que apontam para a concepção do dilúvio bíblico, e faz considerações sobre o “berço da humanidade”, fazendo menção a numerosos aspectos da civilização moderna que tiveram sua origem na antiguidade imediatamente posterior ao dilúvio.

Finalmente, é apresentado na Segunda e última parte do livro o chamado “Projeto Gigante” cujas linhas gerais preconizam o desenvolvimento de esforços para a descoberta de fósseis humanos antediluvianos em variados ambientes geológicos.


Trata-se de um livro para-didático indispensável às bibliotecas de escolas cristãs e a centros de estudos criacionistas.