domingo, 30 de outubro de 2016

Livro: "Darwin no banco dos réus" de Phillip E. Johnson

Editora Cultura Cristã

O polêmico livro que mexeu com os fundamentos científicos

Por quê?  Ele demonstra que a teoria da evolução não tem sua base em fatos, mas na fé – fé no naturalismo filosófico.  Phillip Johnson argumenta corajosamente que simplesmente não há um vasto corpo de dados que dêem suporte à teoria.

Com o clima intrigante de um mistério e detalhes que nos prendem como ao assistirmos a um julgamento, Johnson conduz o leitor através das evidências com a perícia de um advogado, a qual ele adquiriu como professor de Direito em Berkeley, especializando-se na lógica dos argumentos.

“Qual a razão pela qual uma editora cristã lança no mercado a tradução de uma obra contra o evolucionismo escrita em 1993, portanto com 15 anos de atraso?  A principal razão é a sua pujança e relevância.  Apesar dos 15 anos de idade, o livro de Phillip Johnson continua atualíssimo.  Pouca coisa surgiu nesse período que inovou a apologética antievolucionista além do que Johnson tem feito”.
Augustus Nicodemus Lopes


Phillip E. Johnson é graduado em Harvard e na Universidade de Chicago.  Ele foi oficial de direito do presidente do Superior Tribunal Earl Warren e ensinou por mais de trinta anos na Universidade da Califórnia, Berkeley, onde é professor emérito de Direito.

sábado, 29 de outubro de 2016

Cristo é misericordioso ou cheio de ira?

APOCALIPSE 6:16 - Cristo é misericordioso ou cheio de ira?

PROBLEMA: Por todos os evangelistas Cristo, é apresentado como misericordioso, curando os enfermos, abençoando os pobres, confortando os sofredores e perdoando os pecadores (cf. Lc 9:56; 19:10).

Mas o livro do Apocalipse fala da "ira do Cordeiro" (6:16) e do juízo de Cristo sobre o mundo todo (Ap 19:11-15).

SOLUÇÃO:
Muitas vezes as diferenças entre essas passagens são devidas à sua referência a épocas diferentes na obra de Jesus sobre a terra, ou seja, à sua primeira vinda e à sua segunda vinda.

A primeira foi basicamente uma missão de misericórdia. A segunda, entretanto, de início será uma missão de ira.

Ele, que morreu como um Cordeiro (Jo 1:29), também retornará como um Leão (Ap 5:5).

Durante a sua primeira vinda, Jesus foi uma cana quebrada (Is 42:3), mas na sua segunda vinda ele reinará com uma vara de ferro (SI 2:9).

Em outras ocasiões, as diferentes atitudes e ações de Jesus foram simplesmente devidas ao fato de que foram dirigidas a diferentes pessoas, ou em diversas condições. Por exemplo, mesmo durante a sua primeira vinda, Jesus irou-se com os hipócritas (Mt 23) e ficou indignado com aqueles que comercializavam na casa de Deus (Jo 2). Ele amaldiçoou a figueira, que simbolizava a infrutífera nação de Israel que rejeitou o seu Messias (Mt 21:19). Em todo o tempo, Jesus foi misericordioso para com o arrependido e cheio de ira para com o que não se arrependeu.

Fonte:

Norman Geisler & Thomas Howe; "Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e "Contradições" da Bíblia"; Ed. Mundo Cristão; pg.558.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Atos 4:25 - Deus fala pelo Espírito Santo



Almeida Revista e Atualizada
4.24 Ouvindo isto, unânimes, levantaram a voz a Deus e disseram: Tu, Soberano Senhor, que fizeste o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há; 
4.25 que disseste por intermédio do Espírito Santo, por boca de Davi, nosso pai, teu servo: Por que se enfureceram os gentios, e os povos imaginaram coisas vãs?


Nova Tradução da Linguagem de Hoje
4.24 Assim que eles ouviram isso, adoraram todos juntos a Deus, dizendo: — Senhor, tu és o Criador do céu, da terra, do mar e de tudo o que existe neles!
4.25 Tu falaste por meio do Espírito Santo e do nosso antepassado Davi, teu servo, quando ele disse: “Por que as nações pagãs ficaram furiosas? Por que os povos fizeram planos tão tolos? )
 
.
Como funciona essa relação de quem fala: Deus Pai, O Espírito de Deus ou Davi ?
.
Quando o Espírito está falando através de um meio humano ele está falando de si ou fazendo a transmissão da mensagem de Seu Senhor ?

 (2 Pedro 1:20-21) 20 Pois sabeis primeiramente isto, que nenhuma profecia da Escritura procede de qualquer interpretação particular. 21 Porque a profecia nunca foi produzida pela vontade do homem, mas os homens falaram da parte de Deus conforme eram movidos por Espírito Santo.

Costuma-se usar textos que falam de Deus em um versiculo e no Espírito Santo mais embaixo como PROVAs de algo não dito. Do tipo ``diz que
 o Espírito Santo falou.....abaixo diz que foi Deus...``.

O caso citando acima mostra que quando se diz que o Espírito falou a ``voz`` não é dele em si, deve ser atribuída ao Pai. Se não fosse o Pai não faria sentido a distinção entre Espírito e Deus, já que daria na mesma.

Deus, Tu, Soberano Senhor, Tu falaste por meio do Espírito Santo por boca de Davi
.
Esquema parece ser: O Pai fala por boca de Davi
 usando o Espírito Santo.
.
Meio pelo qual ele se comunica aos homens santos da Bíblia.

(Mateus 10:19-20) 19 No entanto, quando vos entregarem, não fiqueis ansiosos quanto a como ou o que haveis de falar; porque naquela hora vos será dado o que haveis de falar; 20 pois, quem fala não sois apenas vós, mas é o espírito de vosso Pai, que fala por meio de vós. .
------------------------------------------------------------------------------

Por Pipe

Como funciona essa relação de quem fala: Deus Pai, O Espírito de Deus ou Davi ?
Depende, se vc está propondo algo literal, quem falou literalmente foi Davi.
 
Se vc está falando de quem inspirou, este foi o ES.
 
Se vc está falando de quem ordenou, vc está falando do Pai.
 

Quando o Espírito está falando através de um meio humano ele está falando de si ou fazendo a transmissão da mensagem de Seu Senhor?
Trazendo a mensagem do Pai e do Filho.

Costuma-se usar textos que falam de Deus em um versiculo e no Espírito Santo mais embaixo como PROVAs de algo não dito. Do tipo ``diz que o Espírito Santo falou.....abaixo diz que foi Deus...``.
Vou te dar um exemplo: Se o Presidente manda um ministro em seu lugar para uma viaje internacional e falar em nome dele, quem falou: O ministro ou o Presidente? Quando um ministro fala enviado pelo presidente, é o mesmo que dizer que foi o próprio Presidente quem disse. Tanto faz.

Quando um pregador sobe num púlpito e prega a Palavra, quem está falando: Deus, o ES ou o pregador?

Está errado eu dizer para este pregador que Deus usou a vida dele para falar comigo por meio do ES?

Conclusão:
O Pai, por meio do ES usou a vida daquele pregador para falar comigo. Portanto, os Três falaram comigo:
 
- O Pai, quando enviou o ES na minha vida.
- O ES quando me deu iluminação para compreender.
- O Pregador que se deixou ser usado por Deus.

Porém, se eu disser que foi o pregador que falou algo a minha mente, ninguém está cometendo uma heresia teológica porque disse isso. Porque todo o crente inteligente com um pouquinho de massa cinzenta sabe que nisso está implícito que o ES, o Pai e o Filho estão por trás de tudo isso.

O caso citando acima mostra que quando se diz que o Espírito falou a ``voz`` não é dele em si, deve ser atribuída ao Pai.
O “deve” é um acréscimo teu. Mas, também tanto faz. Se eu digo que o ES falou, o Pai falou ou o pregador falou dá na mesma.

Por exemplo:
At 13:
2
E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado.

Quem falou foi o ES que certamente o fez segunda a vontade do Pai ou do Filho. Portanto, o texto dizer: “Disse o ES...”, é o mesmo que dizer que foi o Pai. E se o texto dissesse que foi um profeta que disse, é o mesmo que dizer que foi o ES ou que foi o Pai, ou que foi o Filho que disse. Porque nós cremos numa unidade. Cremos que o Pai, o Filho e o ES são uma unidade, e que todos nós estamos também unidos nEle.
 

Outro exemplo:
At 16:6
E, passando pela Frígia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a palavra na Ásia.

Quem impediu: O Pai ou o ES? Ambos.

At 21:4
E, achando discípulos, ficamos ali sete dias; e eles pelo Espírito diziam a Paulo que não subisse a Jerusalém.

Quem foi que disse?

Se não fosse o Pai não faria sentido a distinção entre Espírito e Deus, já que daria na mesma.
Então os apóstolos acima erraram ao dizer que foi o ES quem disse, quem impediu?

Esquema parece ser: O Pai fala por boca de Davi usando o Espírito Santo.
Não, o esquema é: O Pai fala por meio do ES que fala através da boca de Davi.

Eu vejo a coisa como Pedro mostra: o Espírito faz o homem falar a palavra do Pai.
Aeeee.... correto!

Então, o ponto é, quando é dito que o Espírito tá dizendo algo, a voz não é dele em si.
Bom, péra aí! Vc está dizendo que a voz que eles disseram que ouviram não era literalmente do ES e sim do Pai? Então quando um pregador fala na verdade não é a voz dele que ouvimos e sim a do Pai?
 


Eu não entendi porque tanta confusão se a questão é tão simples. Quem ordena é o Pai ou o Filho por meio do ES que por sinal se manifesta por meio da boca humana. Porém, o Pai fala ao ES, que fala ao homem que fala para outros homens. Simples!

O Pai/O Filho[?] está se comunicando atraves de um mensageiro apossado do espírito
Depende, cada caso é um caso. Se vc está falando de estase espiritual como ocorria no AT ou em Atos, ok! Porém, isto não implica que toda a vez que o ES fala necessariamente a pessoa fica em estase.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Como explicar João 12:31?



Além dos textos que mostram a queda de satanás, vamos procurar também entender quando isso ocorreu. Gostaria que comentassem João 12:31:

“Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo"

Pergunto:

"Agora"? Quando? Logo após a crucificação de Cristo?

"Será expulso"? Expulso de onde? Do céu?

Creio ser esse versículo revelante no estudo da "queda de satanás"
---------------------------------------------------------------------------------------------

Por Pipe

"Agora"?
O "agora" estava ligado ao que ele faria:

31 Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo.
32 E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim.

Quando?
Na crucificação. E isto tem a ver com o que Paulo disse em Cl 2:
“13 E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas,
14 Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.
15 E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo”.

Paulo aqui aborda o tema dizendo que na Cruz Jesus fez o seguinte:
1. Nos vivificou. Portanto estávamos mortos.
2. Nos perdoou.
3. Riscou a cédula contrária cravando-a na cruz. Tirou-as do nosso meio.
4. Despojou os principados e potestades.

Talvez este "ser expulso" tenha a ver com relação à acusação. Pois o juízo que deveria vir sobre nós, veio sobre Cristo, calando assim o Príncipe deste mundo.

"Será expulso"? Expulso de onde? Do céu?
Não é do Céu porque Satanás já era de alguma forma um ser caído por várias razões. Mas as principais eram os adjetivos que se davam a ele:
• Diabo – Acusador
• Satanás – Inimigo


Estes nomes já dizem por si só que ele já havia caído de seu estado original.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Livro: "O Delírio de Dawkins" de Alister McGrath & Joana McGrath

- Uma resposta ao fundamentalismo ateísta de Richard Dawkins - 

Editora Mundo Cristão

Ao discutir os pressupostos de Dawkins, os autores trazem à tona questões fundamentais dos tempos pós-modernos - fé, coexistência de religião e ciência, liberdade de crença, o sentido da vida e a busca de significado - que, a julgar pela repercussão de Deus, um delírio, merecem contundente posicionamento cristão.

domingo, 23 de outubro de 2016

Livro: "O Deus de Dawkins - Genes, Memes e o Sentido da Vida" de Alister McGrath

Editora Vida Nova

Este livro é um confronto crítico com a visão de mundo de Dawkins, e tem a intenção de perguntar se a afamada agressividade de seu ateísmo está realmente fundamentado nos argumentos que ele apresenta.

O que espero encorajar é uma investigação sobre o lugar das ciências naturais na formatação do mundo de nossas mentes e da cultura em que vivemos, com base nos textos publicados por Dawkins.

sábado, 22 de outubro de 2016

Sobre o que a terra foi colocada?



Sobre o nada:
Jó 26:7 - O norte estende sobre o vazio; suspende a terra sobre o nada.


Sobre pilares:
I Sm 2:8 - Levanta o pobre do pó e, desde o esterco, exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do SENHOR são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo.
--------------------------------------------------------------------------
Descontradizendo:

Por Pipe

O sentido do texto é o sentido que está em Cl 1:15-20:

"o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. E ele é a cabeça do corpo da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência, porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse e que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus”.

É neste sentido que o texto de I Sm se refere. Deus é aquele que sustenta o universo e inclusive a terra.

----------------------------------------------------------------------
Por Guilherme Born

I Sm 2:8 - Levanta o pobre do pó e, desde o esterco, exalta o necessitado, para o fazer assentar entre os príncipes, para o fazer herdar o trono de glória; porque do SENHOR são os alicerces da terra, e assentou sobre eles o mundo. (os alicerces do Senhor)


Reparem no contexto deste versículo que é enfatizado o que Deus faz com o necessitado. Ele levanta-o, ele sustenta-o. 

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Livro" "A ressurreição do Filho de Deus" de N.T.Wright

Editora Paulus

No terceiro volume da sua série "Origens Cristãs e a Questão de Deus" N. T. Wright vira a mesa da erudição bíblica contemporânea ao demonstrar que os autores do Novo Testamento acreditavam em uma ressurreição corporal literal de Jesus Cristo, e não numa ressurreição meramente "espiritual" inventada posteriormente, e que sua crença é a melhor explicação da evidência disponível, em prejuízo dos dogmas naturalistas da divisão moderna. Combinando sua vasta erudição bíblica e clássica com uma metodologia rigorosa e filosoficamente consciente, Wright enraíza o julgamento sobre a realidade da ressurreição no chão do juízo histórico, sem com isso negar o seu significado religioso e teológico, superando de um modo magistral o dualismo de "fatos históricos" e "significados religiosos" que infesta o mundo da teologia acadêmica. Wright desenvolve com lucidez as implicações de seus resultados, como a confirmação a identidade de Jesus Cristo como Messias e Filho de Deus, a obsolescência da visão antiga e popular da vida eterna como "morada celeste", ou a "vida após a morte", e o significado moral e político da ressurreição, ontem e hoje. "A Ressurreição do Filho de Deus" é uma obra monumental, plena de resultados científicos e de significado espiritual, que certamente manterá um assento privilegiado entre os estudos clássicos sobre a história e a identidade de Jesus Cristo.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Como explicar I reis 20:35-37 que diz:



"Então um dos homens dos filhos dos profetas disse ao seu companheiro, pela palavra do SENHOR: Ora fere-me. E o homem recusou feri-lo.  E ele lhe disse: Porque não obedeceste à voz do SENHOR, eis que, em te apartando de mim, um leão te ferirá. E como dele se apartou, um leão o encontrou e o feriu.  Depois encontrou outro homem, e disse-lhe: Ora fere-me. E aquele homem deu-lhe um golpe, ferindo-o"

Será que Deus molda suas ordens à ética da época?
Alguém hoje em dia acreditaria que uma ordem assim partiria de Deus?
---------------------------------------------------------------------------------------------

R. N. Champlin, Ph. D. responde:

20:35
"Temos aqui um outro profeta cujo nome não é dado, membro de uma das escolas de profetas, a maioria dos quais estava escondido, porque Jezabel estava matando sistematicamente os profetas. Esse profeta havia recebido uma visão ou alguma forma de comunicação da parte de Yahweh (vs.36), que lhe dava uma estratégia mediante a qual ele poderia obter acesso ao rei Acabe e entregar-lhe sua mensagem e predição melancólica... A estratégia consistia em ser ele ferido, e tornar-se assim capaz de apresentar-se ao rei como soldado ferido, e tornar-se assim capaz de apresentar-se ao rei como soldado ferido. Acabe veria o "pobre homem", pararia o seu carro de combate e escutaria o que ele tivesse a dizer. Para surpresa do monarca, o soldado ferido se transformaria de repente em um profeta de Yahweh, proferindo contra ele a triste sorte decretada pelo Senhor.

O homem não teve coragem de ferir-se a si mesmo. Por conseguinte, pediu que um vizinho o fizesse. O profeta olharia para o outro lado quando o homem o golpeasse. Mas àquele também faltou coragem. Talvez fosse outro profeta, e ele não haveria de ferir o companheiro. Presumimos que o homem a ser ferido tenha contado ao amigo que precisava ser ferido. Caso contrário, certamente seria difícil entender por que o amigo seria morto por um leão por não ter obedecido à ordem (vs.36)".

20:36
"Um tratamento drástico. O pobre homem que não quis ferir ao próximo foi condenado a ser atacado e morto por um leão, porque a palavra específica da parte de Yahweh lhe tinha sido transmitida, mas não obedecida. Tratava-se de uma ordem. Era seu dever ferir o profeta; mas, quando ele desobedeceu, selou a sua condenação".

20:37
"Outro homem foi encontrado para feri-lo. Esse homem, sem dúvida, tendo ouvido o que acontecera ao primeiro, que se negara a ferir o profeta, imediatamente obedeceu, atacando-o e ferindo-o. Mas não nos é dito que tipo de ferimento ele afligiu ao profeta. O ferido foi deixado com seu ferimento, muito grave, a fim de atrair a atenção de Acabe como um "soldado ferido".

Fonte: "O AT Interpretado vs. por vs. - Livro 2"; Ed.Hagnos; pg.1449
---------------------------------------------------------------------------------
Pipe


O problema é que se tratava de uma ordem de Deus, daí nesse caso, o que houve implicou num juízo instantâneo de Deus. Essa questão me lembra aquela do profeta que foi morto por um leão quando Deus tinha mandado que ele não comesse nada, mas comeu por ter acatado à voz de um "profeta" mais velho.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Livro: "Arqueologia do Velho Testamento" de Merril F. Unger



Este livro é para pastores, seminaristas e professores que são apaixonados por arqueologia. O livro é de total importância para todos que creem nas Escrituras, tratando sobre a criação, o dilúvio, sobre os patriarcas, o êxodo, a tomada da Palestina e muitos outros assuntos à luz da arqueologia.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Livro: "Manual de Dificuldades Bíblicas" de Norman Geisler & Thomas Howe



Muitas pessoas, quando se deparam com questões de difícil compreensão nas páginas da Bíblia, relutam em crer que ela seja de fato um livro inspirado por Deus. Mas elas certamente mudarão de opinião ao consultar este manual.
 
Geisler Howe defendem, com autoridade e firmeza, a inspiração das Escrituras. Todas as questões tratadas neste livro são abertas com a citação do versículo ou da passagem que gerou algum tipo de dificuldade de entendimento. Os autores, então, apresentam o problema apontado pelos críticos e, por último, expõem a solução, de maneira clara, perspicaz e bem fundamentada.
 
Nesta edição revisada da obra anteriormente publicada comoManual popular de dúvidas enigmas e contradições da Bíblia, você encontrará respostas claras e precisas para as principais dificuldades presentes no texto bíblico, além de recursos para aprofundar sua compreensão das Escrituras.
 
Trata-se de uma obra singular: um único volume que, na verdade, equivale a cinco livros, pois, além de ser um guia para solucionar questões de difícil compreensão, reúne características de uma obra apologética, evangelística, um comentário bíblico e, ainda, um devocional, à medida que apresenta inúmeras passagens da Bíblia, para leitura.
 
O Manual de dificuldades bíblicas não só fortalecerá a fé daqueles que se dispõem a desvendar as Escrituras em seus pontos mais árduos, mas ainda auxiliará muitos cristãos a defendê-las com convicção e, assim, conduzir pessoas a um encontro pessoal com Jesus Cristo, o Salvador.
Manual de dificuldades bíblicas o ajudará a falar das coisas de Deus com mais entusiasmo e ousadia.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

A fórmula de Paulo para evangelizar homossexuais



Um ateu argumentou o seguinte:

Paulo diz que os cristãos deveriam o imitar, vejam:

Sede meus imitadores, como também eu o sou de Cristo.
I Coríntios 11:1

Irmãos, sede meus imitadores, e atentai para aqueles que andam conforme o exemplo que tendes em nós;
Filipenses 3:17

Paulo tbn ensina que para pregar o evangelho deve-se abrir mão de certas posturas, vejam:
E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei.
(...)
Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. -
1 Coríntios 9:20-21

Paulo diz que para pregar para judeus se comporte como um judeu correto? para ganhar os fracos, seja tbm como eles.....Bom, agora Ps. Pipe o sr. já sabe como deverá se comportar para pregar para homossexuais né? Simbora evangelizar os homossexuais?
--------------------------------------------------------------------------------------------
Pipe Responde:

Então quer dizer que seguindo a tua linha de raciocínio Paulo está insinuando que:

- para evangelizarmos assassinos devemos matar?
- para evangelizar traficantes devemos traficar?
- para evangelizar velhinhos devemos pintar nossos cabelinhos de branco, usar dentadura e bengala?
- para evangelizar crianças devemos usar fraldas?
- para evangelizar prostitutas devemos vender o corpinho?
- para evangelizar corruptos devemos nos corromper?

Outra falha no argumento: Vc está confundindo homossexuais com travestis. Vc sugeriu que todo o homossexual anda vestido igual a um travesti.

Então já que vc não foi claro na sua argumentação, um cristão pregar a Cristo para um homossexual não necessariamente implica em se vestir de mulher. Pois afinal, homossexuais que se vestem de mulheres são uma minoria.
-----------------------------------------------------------
Ateu:

Pipe
1º Quem deus a ideia não fui eu e sim Paulo.
2º Onde disse para se vestir?
3º Uma duvida pessoal, o sr. é a favor ou contra aquela lei que proíbe a discriminação dos homossexuais por religiosos?
4º O sr. ja converteu algum homossexual ( ele virou hetero? )
5º Homossexualismo na opinião do sr. é possessão demoníaca (como diz a bíblia)?
-------------------------------------------------------------------

Fernando Campos de Abreu respondeu:
A diferença do bom professor do mau professor, muitas vezes, não é porque um sabe mais que o outro, é porque um se comunica melhor que o outro com o seu público. Evidentemente, Paulo não fala de um relativismo moral, nem da adaptação de princípios e valores do Evangelho, ele fala da adaptação da forma, dos meios e dos modos de se transmitir a mensagem do Evangelho. O bom professor não fala com os estudantes do ensino médio da mesma forma que fala com phds. O bom professor também não vai transmitir a sua mensagem a ocidentais da forma que faria a orientais. O bom professor reconhece as características socioculturais e intelectuais de seus alunos e consegue adaptar a sua mensagem de forma ser compreendida por eles. Só uma leitura muito seletiva dos escritos de Paulo é que leva alguém a enxergar, neste trecho, um relativismo moral.

Outra coisa é que considero um equivoco afirmar que "porque ocorre na natureza, é natural". A biologia sugere que homossexualidade não é natural pelo simples fato de que não há reprodução neste tipo de relação. Se predisposições são o suficiente para afirmar o que é natural e o que não é, nada impede de se afirmar que pedofilia, infanticídio, etc, também são naturais. O ser humano é complexo e não ama uma mulher ou até mesmo outro homem por uma questão meramente biológica. Distinguimos o certo do errado e o errado do mais errado ainda por uma questão moral. É pela moral que se condena veemente a pedofilia e que se aceita ou não a homossexualidade.

Pode ocorrer um problema muito grande de reducionismo quando pretendemos simplificar. A Bíblia não apoia a escravidão da mesma forma que apoia a mensagem do Evangelho. A Bíblia é um conjunto de registros de pessoas do passado que acreditavam em Deus e em Jesus Cristo e se empenharam a propagar seu testemunho. Essas pessoas não eram atemporais nem aculturais, eram todas pessoas do seu tempo, influenciadas pelo milieu da época em que viviam. Querer encontrar um absolutismo cultural nas páginas da Bíblia é uma das maiores incoerências do neo-ateísmo, que não se contenta só em desacreditar a inspiração dos relatos bíblicos, mas na própria historicidade deles.
---------------------------------------------------------------------
Pipe
1º Quem deus a ideia não fui eu e sim Paulo.
Não Mariva, a idéia de Paulo condiz com o que o Fernando disse e não com a sua interpretação inconseqüente. Nenhum cristão neste universo aplicaria o texto da forma que vc insinuou. Mas, vai fundo Tarafel. C tu gostou da proposta, a lá vontê!

2º Onde disse para se vestir?
Vixi, então é pior. É pra praticar mesmo? Quer dizer que a estratégia é morder a fronha mesmo e não só se vestir?

3º Uma duvida pessoal, o sr. é a favor ou contra aquela lei que proibe a discriminação dos homossexuais por religiosos?
Eu não posso dizer que sou a favor porque para eu dizer que sou a favor eu preciso ser informado do que se trata 100% esta lei. Porque este jogo de palavras "discriminação" vs. "Religião" é uma coisa muito perigosa. Se houver algum ponto que eu discorde da lei, vcs vão dizer: "Vc é um religioso fanático e preconceituoso!". O correto nesse caso é vc nos trazer a lei por completo e nós discutirmos ponto por ponto. Só assim poderei te afirmar no que sou a favor ou contra.

4º O sr. ja converteu algum homossexual ( ele virou hetero? )
Vixi, vários. Já casei alguns inclusive.

5º Homossexualismo na opnião do sr. é possessão demoniaca (como diz a biblia)?

Bom, primeiro de tudo é: Onde diz na Bíblia que homossexualismo é possessão demoníaca? Depois que vc me responder isso eu te respondo se é ou não é.

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Quem foram os apóstolos?



Mt 10:2-4, Mc 3:16-18
Simão (Pedro), André (irmão de Pedro), Tiago (filho de Zebedeu), João (irmão de Tiago), Filipe, Bartolomeu, Tomé, Mateus, Tiago (filho de Alfeu),Lebeu (Tadeu), Simão (Zelote), Judas (Iscariotes).

Lc 6:14-16, At 1:13
Simão (Pedro), André (irmão de Pedro), Tiago, João, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago (filho de Alfeu) Simão (Zelote), Judas (filho de Tiago), Judas (Iscariotes).

--------------------------------------------------------------------------
Descontradizendo:
Por Pipe

Vamos ver os textos pela NVI:
Mt 10:2-4:
01. Simão (chamado Pedro);
02. André (seu irmão);
03. Tiago (filho de zebedeu);
04. João (seu irmão);
05. Filipe;
06. Bartolomeu;
07. Tomé;
08. Mateus (o publicano);
09. Tiago (filho de Alfeu);
10. Tadeu;
11. Simão (o zelote);
12. Judas Iscariotes (que o traiu).

Mc 3:16-18:
01. Simão (a quem deu o nome de Pedro)
02. Tiago (filho de Zebedeu);
03. João (seu irmão);
04. André;
05. Filipe;
06. Bartolomeu;
07. Mateus;
08. Tomé;
09. Tiago (filho de Alfeu);
10. Tadeu;
11. Simão (o zelote);
12. Judas Iscariotes (que o traiu).

Lc 6:14-16:
01. Simão (a quem deu o nome de Pedro);
02. André (irmão de Pedro);
03. Tiago;
04. João;
05. Filipe;
06. Bartolomeu;
07. Mateus;
08. Tomé;
09. Tiago (filho de Alfeu);
10. Simão (chamado zelote);
11. Judas (filho de Tiago);
12. Judas Iscariotes (Que veio a ser o traidor).

At 1:13:
01. Pedro;
02. João;
03. Tiago;
04. André;
05. Filipe;
06. Tomé;
07. Bartolomeu;
08. Mateus;
09. Tiago (filho de Alfeu);
10. Simão (o zelote);
11. Judas (filho de Tiago);

Obs: O 12º. (Judas Iscariotes) havia se suicidado.

Conclusão:
Não há nenhuma contradição. Pois, todos os textos segundo a NVI trazem os mesmos nomes para os doze apóstolos. Com exceção de At 1 que não traz o nome de Judas Iscariotes por este estar morto.
------------------------------------------------------

Contribuição de Ouphir Pesch
Em algumas versões da Bíblia são traduzidos como Lebeu, ou, como Tadeu.

Como na versão King James, que tem os dois nomes.
Philip, and Bartholomew; Thomas, and Matthew the publican; James [the son] of Alphaeus, and Lebbaeus, whose surname was Thaddaeus; Mt 10,3

Ou na vulgata em latim
3. Philippus et Bartholomaeus, Thomas et Matthaeus publicanus, Iacobus Alphaei et Thaddaeus Mt 10,3

Mas a explicação é simples, Lebeu vem de Leb que quer dizer coração, ou seja bondoso, e Tadeu quer dizer Misericordioso, fato do nome Judas ser considerado de um traidor, fez com que o outro apostolo ficasse mais conhecido por seus apelidos que pelo seu nome.

Muito comum na bíblia como Pedro ou Simão

Jesus então lhe disse: Feliz és, Simão, filho de Jonas... Mt 16,17

Foi então Jesus à casa de Pedro... Mt 8,14

Qualquer um com um mínimo de intelecto lógico entenderá, a não ser que não queira entender.

P.S. Esses caras ás vezes exageram na contradição.
------------------------------------------------------------------------

Guilherme Born
Não é exagero, é de propósito que fazem isso.

Pipe, na NVI está constando Judas (filho de Tiago) em Lucas e Atos, ao contrário de Marcos e Mateus, que registram Tadeu (mantendo assim a "contradição"). Na NVI não aparece exatemente os mesmos nomes nos 4 livros.

Repare que em Marcos e Mateus aparece Tadeu e em Lucas e Atos aparece Judas, isso na NVI.

O Argumento da Versão não condiz com essa contradição.

Creio que a resposta do Ouphir é mais condizente, pois realmente, para não vincularem Judas (filho de Tiago) com o traidor Judas Iscariotes, Eles optaram em registrar o apelido ou nome mudado por Jesus, fazendo assim a diferenciação.

------------------------------------------------------------------------
Pipe

É que o tal Judas (filho de Tiago), também é chamado de Judas Tadeu. Ou seja, se trata da mesma pessoa. Judas e Tadeu são a mesma pessoa.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Livro: "As Grandes Questões Sobre a Fé" de Jonathan Hill

- Respostas as perguntas que você sempre fez mas ninguém respondeu - 

Editora Thomas Nelson Brasil

Como alguém pode acreditar em Deus vendo tanto sofrimento no mundo? A ciência pode acabar com a religião? Será que existe vida após a morte? Essas são algumas das questões que aguçam a mente dos filósofos. Nesta obra, Jonathan Hill concentra o foco na maneira como os pensadores cristãos têm lidado com esses temas ao longo dos séculos. São levados em consideração os argumentos favoráveis e contrários a cada posição em todos os assuntos. Em seguida, as implicações formuladas são comparadas com abordagens alternativas. O texto não pretende chegar a uma conclusão final; seu propósito é o de capacitar os leitores a pensar de modo construtivo por conta própria, em vez de apresentar uma filosofia pré-fabricada. Também estão incluídas idéias de filósofos e representantes de outras religiões não apenas pelo fato de elas ajudarem a lançar mais luzes sobre os conceitos cristãos, mas também porque oferecem pontos de vista alternativos. O autor evita tecnicidades e pressuposições de conhecimento prévio por parte do leitor.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Livro: "Em Defesa da Graça" de Lee Strobel

Editora Vida
Em defesa de Cristo investiga as evidências históricas de Jesus; Em defesa da fé responde às oito maiores objeções ao cristianismo... Agora em Em defesa da graça, Lee Strobel demonstra com destreza uma defesa de Deus altamente pessoal e empírica, tendo como foco o trabalho transformador de Deus nas vidas de homens e mulheres nos dias atuais.
Escrito com uma franqueza incomum, Lee Strobel usa sua própria jornada do ateísmo ao cristianismo para explorar a amplitude e a profundidade do amor redentor de Deus, incluindo aqueles cujas vidas foram radicalmente transformadas depois de descobrirem o “como” e o “por quê” por traz da maravilhosa graça de Deus. Você encontrará racistas, dependentes e até assassinos que encontraram novo propósito e esperança. Você encontrará pessoas que já foram amargas e aprenderam a perdoar àqueles que os machucaram — e, de igual modo surpreendente, pessoas chafurdadas na culpa que descobriram que podem perdoar até a si mesmas.
Por meio disso tudo, você verá como a graça de Deus pode mudar sua eternidade e seus relacionamentos... a partir de hoje.
Lee Strobel, diplomado em jornalismo pela Universidade do Missouri e mestre em estudo do direito pela Yale Law School, foi um premiado editor do jornal Chicago Tribune. É autor de mais de vinte livros de não ficção e campeão de vendas pelo The New York Times. Entre suas publicações, destacam-se Em defesa de Cristo, Em defesa da fé e Ambição, todos publicados por Editora Vida. Ex-ateu, serviu na área de ensino como pastor em duas das maiores igrejas dos Estados Unidos. Ele e a esposa moram no Colorado.

domingo, 9 de outubro de 2016

Livro: "Em Defesa da Fé" de Lee Strobel

Editora Vida
Livro Em defesa da féapós examinar minuciosamente em seu livro Em defesa de Cristo diversos argumentos favoráveis e contrários à pessoa de Jesus, Lee Strobel apresenta agora um trabalho ainda mais instigante sobre um dos fundamentos do cristianismo: a fé. Em mais uma obra imprescindível para os nossos dias, o autor confronta os questionamentos que muitas pessoas ainda têm a respeito de Deus. Strobel trata em Em defesa da fé de objeções como:
  • Se Deus é amor, por que existe tanto sofrimento no mundo?
  • Se Jesus é o caminho para o céu, por que há tantos milhões de pessoas que nunca ouviram falar dele?
  • Se Deus se preocupa com todas as pessoas, por que permite que algumas sejam eternamente torturadas no inferno?
Livro Em defesa da fé foi produzido graças à larga experiência de Strobel no jornalismo investigativo. Ele responde às dúvidas mais comuns e persistentes sobre a fé, baseado no que classifica de "As Oito Grandes" barreiras do coração. Este livro foi escrito para as pessoas que se sentem atraídas por Jesus, mas encontram no caminho uma série de barreiras intelectuais que as impedem de avançar. Em Em defesa da fé obra excelente para cristãos que desejam aprofundar suas convicções e adquirir confiança ao dialogar sobre sua fé com os amigos mais céticos.

sábado, 8 de outubro de 2016

Livro: "Em Defesa de Cristo" de Lee Strobel

Editora Vida

Este livro é como um romance cativante e de ritmo acelerado. Mas não se trata de ficção. É uma viagem sobre o fato mais marcante da história: a morte, o sepultamento e a ressurreição de Jesus Cristo. Além de ser também um testemunho pessoal revelador do seu poder. Este poder que ainda hoje é capaz de transformar até mesmo o mais cético dos homens.

Escrito no estilo de uma reportagem investigativa, é uma leitura provocante e solidamente argumentada. O autor analisa as seguintes evidências: Históricas; Científicas; Psiquiátricas; Digitais; e outras.