sábado, 18 de janeiro de 2014

Gerasa, Gersesa ou Gadara?

O erro geográfico mais absurdo que Marcos comete é quando conta a história exagerada sobre Jesus atravessando sobre o Mar da Galiléia e exorcizando demônios de um homem (dois homens na versão revisada de Mateus) e fazendo-os entrar em cerca de 2.000 porcos os quais, conforme a versão do Rei Jaime, "correram violentamente penhasco abaixo para dentro do mar, e se afogaram no mar.

Além da crueldade para com os animais demonstrada pelo amável e gentil Jesus e sua indiferença pela propriedade dos outros, o que está errado nessa história?

Se sua única fonte de informação for a Bíblia do Rei Jaime, você poderá nunca saber. A versão do Rei Jaime diz que esse milagre ocorreu na terra dos gadarenos, enquanto que os manuscritos Gregos mais antigos dizem que aconteceu na terra dos gerasenos.

Lucas, que não conhecia nada da geografia Palestina, também passa adiante esse pequeno absurdo. Mas Mateus, que tinha algum conhecimento sobre a Palestina, mudou o nome para gadarenos, em sua versão nova e melhorada, mas isso foi novamente melhorado para gergesenos na versão do Rei Jaime.

A esta altura o leitor deve estar atordoado com todas estas distinções entre gerasenos, gadarenos e gergesenos. Que diferença isso faz? Muita diferença com veremos.

Gerasa, o lugar mencionado nos manuscritos mais antigos de Marcos, está localizada a cerca de 50 km de distância das costas do Mar da Galiléia. Aqueles pobres porcos tiveram que correr uma distância 8 km mais longa que uma maratona para encontrar um lugar para se afogar! Nem mesmo lemingues precisam ir tão longe. Ainda mais se considerarmos que o perfil de um "penhasco" tem que ter no mínimo 45 graus, o que tornaria a elevação de Gerasa pelo menos seis vezes maior que Monte Evereste!

Quando o autor de Mateus leu a versão de Marcos, viu a impossibilidade de Jesus e sua gangue desembarcarem em Gerasa (que por sinal também ficava em outro país, o assim chamado Decápolis).

Já que a única cidade na vizinhança do Mar da Galiléia que ele conhecia e que começava com G era Gadara, trocou Gerasa por Gadara. Mas mesmo Gadara dista 8 km da costa, e em um país diferente.

Copistas posteriores dos manuscritos Gregos de todos os três evangelhos com porcos afogados (Mateus, Marcos e Lucas) melhoraram Gadara mais tarde para Gergesa, uma região que agora se sabe ter feito parte da costa oriental do Mar da Galiléia. Não é preciso falar mais nada sobre a confiabilidade da tradição bíblica.

-------------------------------------------------

Norman Geisler & Thomas Howe:
"PROBLEMA: Cada um dos três primeiros evangelistas (Mateus, Marcos e Lucas) faz um relato de Jesus libertando um endemoninhado. Mateus relata que essa libertação ocorreu na terra dos gadarenos. Entretanto, Marcos e Lucas dizem que foi na terra dos gerasenos.

SOLUÇÃO: Há um problema de textos nesse caso. O texto crítico do NT em grego (Nestle-Aland/Sociedades Bíblicas Unidas) menciona em IV arcos e Lucas o mesmo lugar a que se refere Mateus, ou seja, a terra dos gadarenos. Entretanto, alguns manuscritos dão esse local como sendo a terra dos gerasenos.

É possível atribuir essa divergência nesses manuscritos a um erro de copistas.

É provável que Gadara tenha sido a capital da região, e Mateus, portanto, referiu-se àquela área como sendo a terra dos gadarenos, porque o povo daquela região, quer vivessem em Gadara ou não, identificavam-se como gadarenos.

Marcos e Lucas possivelmente deram uma referência mais geral à terra dos gerasenos, que seria a região mais extensa dentro da qual o incidente ocorreu.

Entretanto um escriba, confundindo a referência em Mateus - achando que era a cidade em vez do povo da região - pode ter achado que deveria corrigir os manuscritos, e assim alterou as referências para torná-las uniformes.

Parece que a melhor evidência textual está em favor de Gadara, embora haja opiniões divergentes entre comentaristas.

Não há contradição nem erro nessas passagens, porque o problema surgiu em decorrência das transcrições, e não há evidência que demonstre ter havido um erro nos manuscritos originais."

Fonte: "Manual Popular de dúvidas, enigmas e "contradições" da Bíblia"; ed. Mundo Cristão; pg.345-346.
------------------------------------------------------

R. V. G. Tasker:
"Gadarenos. A redação mais bem comprovada de Mateus é esta (assim também VR e VPR), e não do lag"gergesenos" (VA). Gadara era uma cidade que ficava a uns dez quilômetros dos lago. Marcos e Lucas dizem "gerasenos" - sendo Gerasa uma cidade que distava uns cinqüenta quilômetros a sudeste o. A grafia "gergesenos", estabelecia nos mais recentes manuscritos gregos, parece dever-se a Orígenes que, como nota McNeile, dizia que, nem Gadara nem Gerasa satisfaziam às exigências da narrativa".

Fonte: "Mateus - Introdução e comentário"; Ed. Vida Nova, pg.76.
--------------------------------------------------------

Leon L. Morris:
"A terra dos gerasenos nos apresenta um problema, pois Gerasa ficava a cerca de 64 km ao sudeste do lago. Mateus registra "a terra dos gadarenos", mas Gadara fica a 9 km de distância, e separada pelo desfiladeiro do Iarmuque. Todos os três Sinotistas têm as duas variações, e também uma terceira, "o país dos gergasenos". Este último texto era favorecido por Orígenes, que achava que os outros dois lugares estavam demasiadamente distantes, e que os textos tinham surgido somente porque os escribas não sabiam da existência da pequena cidade de Gergosa, e, portanto, substituíram-no por nomes que conheciam (ver, por exemplo, Manson). Os estudiosos modernos indicam a vila de Khersa e pensam que talvez esta tenha retido o nome antigo. Pode ser certo, mas permanece a suspeita de que o texto é achado nos MSS somente porque Orígenes deu origem a ele. Se qualquer dos outros está correto, devemos entender que a respectiva cidade controlava uma faixa de terra até a beira do lago".

Fonte: "Lucas - Introdução e comentário"; Ed. Vida Nova; pg.147.
---------------------------------------------------------

Bíblia de Estudo NVI:
Comentário de Mt 8:
"Região dos gadarenos. Região ao redor da cidade de gadara, quase 10 Km a sudeste do mar da Galiléia. Marcos e Lucas identificam a região pela capital, Gerasa, localizada uns 56 km a sudeste do mar".

Comentário de Mc 5:
"Região dos Gerasenos. Gerasa, situada a uns 56 km a sudeste do mar da Galiléia, pode ter possuído terras no litoral leste do mar e assim ter dado seu nome a uma pequena aldeia ali, que hoje é chamada Khersa. A uns 1.600 m ao sul há um despenhadeiro bastante íngreme dentro de 45 m da praia, e a uns 3 km de lá existem túmulos nas cavernas, que parecem ter sido usadas como habitações".

Comentário de Lc 8:
"região dos gerasenos. Os evangelhos referem-se de duas maneiras à localidade em que se deu esse fato: 1) região dos geraseno e 2) região dos gadarenos. Alguns manuscritos de Mt, Mc e de Lc trazem "gersesenos", mas essa grafia pode ter sido introduzida numa tentativa de resolver as diferenças".
------------------------------------------------------------

Refutando (Por Pipe):
"O erro geográfico mais absurdo que Marcos comete é quando conta a história exagerada sobre Jesus atravessando sobre o Mar da Galiléia...

Bom, vamos ao texto então:
35 Naquele dia, ao anoitecer, disse ele aos seus discípulos: “Vamos para o outro lado”.
36 Deixando a multidão, eles o levaram no barco, assim como estava. Outros barcos também o acompanhavam.
37 Levantou-se um forte vendaval, e as ondas se lançavam sobre o barco, de forma que este foi se enchendo de água.
38 Jesus estava na popa, dormindo com a cabeça sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e clamaram: “Mestre, não te importas que morramos?”
39 Ele se levantou, repreendeu o vento e disse ao mar: “Aquiete-se! Acalme-se!” O vento se aquietou, e fez-se completa bonança.
40 Então perguntou aos seus discípulos: “Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé?”
41 Eles estavam apavorados e perguntavam uns aos outros: “Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?”

Próximo versículo no cap.5:
1 Eles atravessaram o mar e foram para a região dos gerasenos.
2 Quando Jesus desembarcou, um homem com um espírito imundo veio dos sepulcros ao seu encontro.

Onde diz no texto a idiota afirmação de que Jesus atravessou o mar da Galiléia andando sobre o mar?
--------------------------------------------------------------------
Vamos ler os três textos:

Mt 8:
23 Entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram.
24 De repente, uma violenta tempestade abateu-se sobre o mar, de forma que as ondas inundavam o barco. Jesus, porém, dormia.
25 Os discípulos foram acordá-lo, clamando: “Senhor, salva-nos! Vamos morrer!”
26 Ele perguntou: “Por que vocês estão com tanto medo, homens de pequena fé?” Então ele se levantou e repreendeu os ventos e o mar, e fez-se completa bonança.
27 Os homens ficaram perplexos e perguntaram: “Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?”
28 Quando ele chegou ao outro lado, à região dos gadarenos, foram ao seu encontro dois endemoninhados, que vinham dos sepulcros. Eles eram tão violentos que ninguém podia passar por aquele caminho.
29 Então eles gritaram: “Que queres conosco, Filho de Deus? Vieste aqui para nos atormentar antes do devido tempo?”
30 A certa distância deles estava pastando uma grande manada de porcos.
31 Os demônios imploravam a Jesus: “Se nos expulsas, manda-nos entrar naquela manada de porcos”.
32 Ele lhes disse: “Vão!” Eles saíram e entraram nos porcos, e toda a manada atirou-se precipício abaixo, em direção ao mar, e morreu afogada.
33 Os que cuidavam dos porcos fugiram, foram à cidade e contaram tudo, inclusive o que acontecera aos endemoninhados.
34 Toda a cidade saiu ao encontro de Jesus, e, quando o viram, suplicaram-lhe que saísse do território deles.
9:
1 Entrando Jesus num barco, atravessou o mar e foi para a sua cidade.

Mc 4 e 5:
35 Naquele dia, ao anoitecer, disse ele aos seus discípulos: “Vamos para o outro lado”.
36 Deixando a multidão, eles o levaram no barco, assim como estava. Outros barcos também o acompanhavam.
37 Levantou-se um forte vendaval, e as ondas se lançavam sobre o barco, de forma que este foi se enchendo de água.
38 Jesus estava na popa, dormindo com a cabeça sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e clamaram: “Mestre, não te importas que morramos?”
39 Ele se levantou, repreendeu o vento e disse ao mar: “Aquiete-se! Acalme-se!” O vento se aquietou, e fez-se completa bonança.
40 Então perguntou aos seus discípulos: “Por que vocês estão com tanto medo? Ainda não têm fé?”
41 Eles estavam apavorados e perguntavam uns aos outros: “Quem é este que até o vento e o mar lhe obedecem?”
1 Eles atravessaram o mar e foram para a região dos gerasenos.
2 Quando Jesus desembarcou, um homem com um espírito imundo veio dos sepulcros ao seu encontro.
3 Esse homem vivia nos sepulcros, e ninguém conseguia prendê-lo, nem mesmo com correntes;
4 pois muitas vezes lhe haviam sido acorrentados pés e mãos, mas ele arrebentara as correntes e quebrara os ferros de seus pés. Ninguém era suficientemente forte para dominá-lo.
5 Noite e dia ele andava gritando e cortando-se com pedras entre os sepulcros e nas colinas.
6 Quando ele viu Jesus de longe, correu e prostrou-se diante dele,
7 e gritou em alta voz: “Que queres comigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Rogo-te por Deus que não me atormentes!”
8 Pois Jesus lhe tinha dito: “Saia deste homem, espírito imundo!”
9 Então Jesus lhe perguntou: “Qual é o seu nome?” “Meu nome é Legião”, respondeu ele, “porque somos muitos.”
10 E implorava a Jesus, com insistência, que não os mandasse sair daquela região.
11 Uma grande manada de porcos estava pastando numa colina próxima.
12 Os demônios imploraram a Jesus: “Manda-nos para os porcos, para que entremos neles”.
13 Ele lhes deu permissão, e os espíritos imundos saíram e entraram nos porcos. A manada de cerca de dois mil porcos atirou-se precipício abaixo, em direção ao mar, e nele se afogou.
14 Os que cuidavam dos porcos fugiram e contaram esses fatos na cidade e nos campos, e o povo foi ver o que havia acontecido.
15 Quando se aproximaram de Jesus, viram ali o homem que fora possesso da legião de demônios, assentado, vestido e em perfeito juízo; e ficaram com medo.
16 Os que estavam presentes contaram ao povo o que acontecera ao endemoninhado, e falaram também sobre os porcos.
17 Então o povo começou a suplicar a Jesus que saísse do território deles.
18 Quando Jesus estava entrando no barco, o homem que estivera endemoninhado suplicava-lhe que o deixasse ir com ele.
19 Jesus não o permitiu, mas disse: “Vá para casa, para a sua família e anuncie-lhes quanto o Senhor fez por você e como teve misericórdia de você”.
20 Então, aquele homem se foi e começou a anunciar em Decápolis o quanto Jesus tinha feito por ele. Todos ficavam admirados.

Lc 8:
22 Certo dia Jesus disse aos seus discípulos: “Vamos para o outro lado do lago”. Eles entraram num barco e partiram.
23 Enquanto navegavam, ele adormeceu. Abateu-se sobre o lago um forte vendaval, de modo que o barco estava sendo inundado, e eles corriam grande perigo.
24 Os discípulos foram acordá-lo, clamando: “Mestre, Mestre, vamos morrer!” Ele se levantou e repreendeu o vento e a violência das águas; tudo se acalmou e ficou
tranqüilo.
25 “Onde está a sua fé?”, perguntou ele aos seus discípulos. Amedrontados e admirados, eles perguntaram uns aos outros: “Quem é este que até aos ventos e às
águas dá ordens, e eles lhe obedecem?”
26 Navegaram para a região dos gerasenos, que fica do outro lado do lago, frente à Galiléia.
27 Quando Jesus pisou em terra, foi ao encontro dele um endemoninhado daquela cidade. Fazia muito tempo que aquele homem não usava roupas, nem vivia em
casa alguma, mas nos sepulcros.
28 Quando viu Jesus, gritou, prostrou-se aos seus pés e disse em alta voz: “Que queres comigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Rogo-te que não me atormentes!”
29 Pois Jesus havia ordenado que o espírito imundo saísse daquele homem. Muitas vezes ele tinha se apoderado dele. Mesmo com os pés e as mãos acorrentados e
entregue aos cuidados de guardas, quebrava as correntes, e era levado pelo demônio a lugares solitários.
30 Jesus lhe perguntou: “Qual é o seu nome?”“Legião”, respondeu ele; porque muitos demônios haviam entrado nele.
31 E imploravam-lhe que não os mandasse para o Abismo.
32 Uma grande manada de porcos estava pastando naquela colina. Os demônios imploraram a Jesus que lhes permitisse entrar neles, e Jesus lhes deu permissão.
33 Saindo do homem, os demônios entraram nos porcos, e toda a manada atirou-se precipício abaixo em direção ao lago e se afogou.
34 Vendo o que acontecera, os que cuidavam dos porcos fugiram e contaram esses fatos, na cidade e nos campos,
35 e o povo foi ver o que havia acontecido. Quando se aproximaram de Jesus, viram que o homem de quem haviam saído os demônios estava assentado aos pés de
Jesus, vestido e em perfeito juízo, e ficaram com medo.
36 Os que o tinham visto contaram ao povo como o endemoninhado fora curado.
37 Então, todo o povo da região dos gerasenos suplicou a Jesus que se retirasse, porque estavam dominados pelo medo. Ele entrou no barco e regressou.
38 O homem de quem haviam saído os demônios suplicava-lhe que o deixasse ir com ele; mas Jesus o mandou embora, dizendo:
39 “Volte para casa e conte o quanto Deus lhe fez”. Assim, o homem se foi e anunciou na cidade inteira o quanto Jesus tinha feito por ele.

Resumindo:
Vamos resumir os três textos e destacar os pontos principais:
1. Os textos dizem que Jesus estava na região da Galiléia e se dirigiu para a região dos “Gadarenos” (Mt) ou para a região dos “Gerasenos” (Mc e Lc);
2. Os três textos dizem que o encontro foi imediato, ou seja, perto da praia;
3. Os textos dizem que os porcos precipitaram-se num precipício no mar;
4. Os textos dizem que os donos dos porcos foram a cidade dizer o que havia ocorrido;
5. Os textos dizem que Jesus subiu novamente no barco e voltou para a Galiléia assim que os donos dos barcos retornaram da cidade.

Concluíndo:
1. Os três textos referem-se a ”região” e não cidade. Bom, a cidade de Gadara ficava a uns 8 ou 10 kms da praia. Portanto, perfeitamente aceitável referir-se a ela como ponto de referência. Eu moro a 9 km do centro de Curitiba e de carro percorro esta distância a 60km por hora em 15 min. De a pé, eu levaria menos de 2:00h para percorrê-la. É pouco provável referir-se a uma região ligando ela a uma cidade que ficava a 8 ou 10 km de distância?

2. Os três textos falam que o encontro foi próximo a praia. Portanto, os próprios autores não seriam tão burros de quererem dizer com “região” literalmente as cidades de Gadara ou Gerasa. Se eles disseram praia, automaticamente se subentendem que não foi na cidade e nem do lado dela, uma vez que estas duas cidades não são praianas. Por isso disseram "região".

3. Os textos dizem que os donos dos porcos foram até a cidade contar o que havia ocorrido. Ora, se foram a cidade significa que não estavam na cidade. Se Gadara ficava a 8 km de distância, em 3 horinhas andando rapidinho “fulos da vida” como estavam, dava tempo de sobra.

4. Os textos dizem que logo em seguida Jesus entrou de novo no barco. Isto denota que ele não estava longe do barco. Portanto, não estava na cidade.

5. Se Mc e Lc quiseram dizer com “região” ligando isto a capital que era Gerasa, que ficava a 56 km dali, isto se torna um problema? Mt ligou “região” a cidade mais próxima “Gadara”, Mc e Lc, ligaram a Gerasa. No Stress. 100% normal e aceitável.

6. Já “Gergesa” é opinião unânime dos críticos que se trata de uma correção de Orígenes para corrigir um “problema”. Portanto, descartado. Os manuscritos mais antigos não apóiam “Gergesenos”.

7. Agora, se havia a uns 1.600 m ao sul um despenhadeiro. Fica mais do que evidente, que os autores escolheram como referência as cidades que vieram em sua mente como principais. No caso de Mt usou a mais próxima, Gadara e disse “região dos gadarenos”. Já Mc e Lc usaram a capital Gerasa como referência para “região dos gerasenos”.
-------------------------------------------------------------------

Cooperação de Matheus:

A passagem fica menos contraditória ainda quando pegamos os originais:

"kai elqonti autw eiV to peran eiV thn cwran twn gergeshnwn uphnthsan autw duo daimonizomenoi ek twn mnhmeiwn exercomenoi calepoi lian wste mh iscuein tina parelqein dia thV odou ekeinhV" (Mateus 8:28)

kai katepleusan eiV thn cwran twn gadarhnwn htiV estin antiperan thV galilaiaV (Lucas 8:26)

kai hlqon eiV to peran thV qalasshV eiV thn cwran twn gadarhnwn (Marcos 5:1)


A palavra destacada é cwran que pode significar: costa, região, campos, país, solo e terra.

9 comentários:

  1. Olá, gostei da exposição. De acordo com seu texto, você acredita na bíblia ou questiona sua veracidade? Me desculpe, mas fiquei sem entender.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito 100% nela e sua fidedignidade. O que pode ocorrer é a tradução ser suscetível de erro. Para isso existe a crítica textual juntamente aos manuscritos para dar uma maior compreensão do que de fato diz o texto.

      Excluir
  2. Vai procurar o que fazer seu perturbador, tenha mais respeito e zelo pela palavra de Deus e pelos homens de Deus.Seu presunçoso você não chega e nunca Vai chegar nem nos pés do evento marcos seu prepotente. Converte primeira pra querer insinar a palavra de Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido, erro de copista é uma coisa que não envolve desrespeito pela Palavra. A Palavra não tem erros.

      Excluir
  3. Voltaire, considerado uma sumidade da inteligência humana, diz em seu Dicionário Filosófico que Jesus não poderia ter tirado os demônios e fazê-los entrar em porcos que acabaram se afogando porque, como era proibido comer carne deles não haveria um só porco por ali. Muito discutível essa alegação, pois não se proíbe o que não existe. E também pode-se afirmar que existiam sim, muitos porcos, pois aquela região era onde se encontrava a LEGIÃO dos soldados romanos na época de Herodes Antipas em Tiberíades, às margens do Mar da Galileia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Buscai ao senhor enquanto se pode achar, invocaio enquanto estar perto! isaias 55:6

      Excluir
    2. Olha quando Jesus entra no barco e atravessa o lago,quer dizer que são outras terras, na tradição dos Judeus não se come carne de porco pq são impuros, a terra onde Jesus estava fazia parte das 10 cidades de Decapolis que eram de origem Gregas e lá eles não viviam o velho testamento. Então concluindo: Existia o manejo de porcos normalmente pq eles não viviam o velho testamento

      Conhecereis-vos a verdade, e a verdade vos-libertará!

      Excluir
  4. O meu Deus o Deus vivo e verdadeiro não é Deus de confusão. Realmente deuses existem muitos. O seu só pode ser o demônio que é mentiroso e invejoso desde o princípio. Se não quer se converter o problema é seu. Mas não venha contaminar com o seu fermento de fariseu. Arrependei- vos.
    Está repreendido em nome do Senhor Jesus.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir